Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 07 de Abril de 2020. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
31101671


Edicão n° 162 de Dezembro 2016


SAúDE

Prevenção é a melhor maneira de evitar a disseminação da AIDS


Nos últimos 30 anos, a AIDS deixou de ser uma doença fatal e passou a ser tratável. Ainda
assim, os casos de transmissão do vírus HIV, causador da Síndrome da Imunodeficiência
Adquirida, seguem crescendo em todo o mundo. Anualmente, cerca de 28 milhões de pessoas
recebem o diagnóstico positivo para HIV no planeta, sendo que, no Brasil, são registrados 40
mil novos casos por ano. Esta situação preocupa a médica infectologista, sócia da Associação
Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS) e que atua no Hospital Conceição e no Posto de Saúde
do IAPI, em Porto Alegre, Anelise Pezzi Alves. Na avaliação da especialista a prevenção segue
sendo o meio mais eficaz de evitar a propagação do vírus que causa a doença, mas é
importante que a população tome consciência disso e faça uso da camisinha em suas relações.
Além disso, o uso de preservativo é considerado o método mais eficaz para se prevenir contra
outras doenças sexualmente transmissíveis, como sífilis e alguns tipos de hepatites que podem
ser assintomáticas e evoluir para cronicidade. Convém ressaltar, ainda a Gonorréia, que está
demonstrando resistência aos antibióticos usuais. Portanto, torna-se cada vez mais necessário e
imprescindível o uso de preservativo.

- Os jovens estão iniciando sua vida sexual mais cedo, mas nem sempre contam com a devida
orientação para evitar doenças sexualmente transmissíveis, como a AIDS. Por isso, a faixa da
população entre 16 e 24 anos representa o grupo com maior incidência dos casos de
contaminação pelo HIV nos últimos anos. Entre os jovens de 20 a 24 anos, por exemplo, a taxa
de HIV positivo subiu de 16,2 casos por 100 mil habitantes, em 2005, para 33,1 casos por 100
mil habitantes em 2015 - destaca.

Anelise Pezzi Alves ressalta que este crescimento pode ser explicado por fatores como os
jovens não buscarem os serviços de saúde e, em muitas situações, negarem sua condição de
soropositivo. Para a médica, é preciso inovar a comunicação com este tipo de público, falando
seriamente do quanto a doença prejudica a vida de cada pessoa contaminada.

- Ainda que não seja mais totalmente fatal, que possa ser tratada com os medicamentos
existentes, a AIDS é uma doença crônica que traz consequências danosas para o paciente.
Como dezembro se caracteriza por ser o mês de Luta contra a AIDS, precisamos disseminar
cada vez mais informações sobre suas causas e seus efeitos prejudiciais - lembra a especialista.

A médica aponta, também, como prevenção necessária o não compartilhamento de seringas e
instrumentos cortantes, salientando que a sobrevida ao vírus obtida nas últimas décadas não
pode servir de fator para que as pessoas deixem de se prevenir. Também é importante que as
pessoas busquem as unidades de saúde para fazerem os exames que detectam a doença.

- Quanto mais rápido fizermos o diagnóstico, mais cedo é possível iniciar o tratamento e evitar
a mortalidade. É importante salientar que o tratamento aos soropositivos é gratuito no Sistema
Único de Saúde (SUS) e que as pessoas devem começar a se tratar o mais rápido possível, a
fim de conviver com o vírus da melhor maneira possível - enfatiza Anelise Alves.

Os medicamentos antirretrovirais que impedem a multiplicação do vírus HIV no organismo e
ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico são fundamentais para aumentar o
tempo e a qualidade de vida de quem tem AIDS. Mas o tempo de sobrevida é indefinido e muda
de pessoa para pessoa.

- Continuo afirmando que a prevenção é o melhor caminho. O tratamento, os medicamentos,
eles estão à disposição da população. Mas é uma ação complexa que necessita de
acompanhamento médico para avaliar como o organismo se adapta ao tratamento, seus efeitos
colaterais e as possíveis dificuldades em acatar as recomendações médicas, pois nem sempre é
fácil seguir em frente nessa hora. Então, não custa nada se proteger - finaliza a associada da
AMRIGS.

A AMRIGS está engajada no mês de Luta contra a AIDS, dando continuidade ao projeto "Saúde
Preventiva: Pratique essa Ideia!", que busca orientar a população sobre a necessidade de se
prevenir e de buscar orientações contra uma série de enfermidades. A ação está apoiada na
educação e na prevenção, com o objetivo de promover o conhecimento sobre a medicina
preventiva e levá-lo à sociedade gaúcha.
...

Credenciado pelo Detran-RS, Laboratório Marques D'Almeida realiza exame toxicológico


O Laboratório Marques D'Almeida está credenciado junto ao Departamento Estadual de Trânsito do
Rio Grande do Sul (Detran-RS) para realizar o exame toxicológico de larga janela de detecção, que
passou a ser exigido em 2016, para a obtenção ou renovação da Carteira Nacional de Habilitação
(CNH) nas categorias C, D e E.

- Este exame é feito através do fio de cabelo e detecta se o paciente teve algum contato com
drogas de abuso nos últimos 90 dias. São mais de 20 tipos de substâncias pesquisadas neste teste
- explica a gerente do Laboratório Marques D'Almeida, Laís Ruperti.

Ao realizar o exame de aptidão física e mental, o laudo do toxicológico deverá ser entregue ao
médico credenciado pelo Detran. A iniciativa tem como objetivo prevenir acidentes de trânsito
causados, principalmente, pelo uso de drogas por profissionais que atuam por longas jornadas de
trabalho.
...

Papai Noel enche de alegria coração de crianças e adultos no Hospital Santo Antônio


A alegria e o encanto foram visíveis facilmente no sorriso das crianças. Logo na chegada do
Papai Noel, em um carro clássico Chevrolet dos anos 50, já houve aplausos e saudações. O
mascote do Hospital da Criança Santo Antônio, o Heitor Castor, entregou a chave simbólica do
Hospital para o Papai Noel que conversou com os pequenos e, em seguida, visitou os pacientes
nos quartos junto com médicos e com a equipe de colaboradores da Associação Médica do Rio
Grande do Sul (AMRIGS).

- É uma ação muito importante. As crianças gostam da chegada do Papai Noel. Coincidiu que a
ação desse ano é em um lugar que eu trabalho há mais de 40 anos e, por isso, fico duplamente
realizado. A festa foi bonita, as crianças ganharam presentes e ficaram muito felizes. Vários
colegas médicos ficaram muito satisfeitos porque o carinho com as crianças é muito grande -
afirmou o presidente da AMRIGS, Alfredo Floro Cantalice Neto.

Para a mãe de Pedro, de 2 anos, Katiele Amaral Silveira, a dedicação e a atenção dos médicos
são fundamentais para a tranquilidade dos pais.

- Sempre fui muito bem atendida com meu filho. O médico nunca te deixa com dúvidas. Ajudam
com informações dos exames e com tudo que precisamos e, para nós, isso é fundamental -
afirmou.

No hall de entrada também houve a apresentação do Grupo Vocal AMRIGS que interpretou
músicas clássicas de Natal.

Fonte: PlayPress ...

Maus hábitos podem comprometer audição


Embora o desgaste do ouvido seja natural e ocorra de modo similar a qualquer outro órgão com
o avanço da idade, os maus hábitos, ainda na juventude, podem diminuir a qualidade de
recepção sonora e até mesmo comprometer a audição. O alerta é da fonoaudióloga Andréa
Varalta Abrahão, diretora técnica da rede Direito de Ouvir - uma das mais importantes
empresas de aparelhos auditivos no Brasil. “O ouvido é um órgão muito sensível, que requer
cuidado continuado, durante toda a vida, a fim de que suas funções –de equilíbrio e transmissão
de sons para o cérebro – sejam preservadas, sem perdas auditivas”, afirma.

Para estar atento aos maus hábitos que podem prejudicar a saúde auditiva, a especialista
relaciona alguns pontos de atenção.


Uso de medicamentos que afetam os ouvidos

Não à toa, o uso de medicamentos deve ser sempre assistido pelo médico. Segundo Abrahão,
alguns medicamentos, chamados ototóxicos podem causar problemas auditivos, ainda que a
ototoxicidade seja temporária e os distúrbios não perdurem. Estima-se que existam cerca de
200 remédios considerados ototóxicos.


Descuidos mais comuns

As infecções (otites) no ouvido são muito comuns durante a infância, mas não limitadas a essa
fase da vida. Nas crianças, as três principais causas das inflamações são referentes às
secreções nasais, à posição que a criança é amamentada, geralmente deitada (os líquidos
passam pela tuba auditiva) e ao fato de o canal auditivo não estar completamente
desenvolvido. As recomendações nesses casos são que os responsáveis mantenham as vias
áereas sempre limpas e, na dúvida, procurem a ajuda de um otorrinolaringologista ou de um
pediatra.

Nos adultos, as dores de ouvido e as coceiras são os sintomas das inflamações. As causas mais
comuns das otites externas estão relacionadas ao contado dos ouvidos com a água, ao uso de
hastes flexíveis e a problemas respiratórios. “Durante uma prática esportiva, como a natação, o
ideal é proteger os ouvidos com tampões e secar a parte externa bem, com a toalha, ao
término da atividade. Nadar em água poluída pode favorecer a presença de agentes patológicos
no canal auditivo e ser danoso para a saúde dos ouvidos”, diz a fonoaudióloga.

Quanto à cera, a especialista adverte ser uma barreira de proteção natural contra os
microorganismos. “O uso de hastes flexíveis ou objetos pontiagudos deve ser evitado”,
sentencia.

Outro fator que contribui para as otites é o clima seco. Ele agrava os problemas respiratórios e,
com o acúmulo de secreções nas vias aéreas, pode aumentar a proliferação de bactérias no
canal auditivo. Umidificar o ar pode ser uma maneira de prevenção.


Exposição ao ruído

Os sons são a matéria-prima dos ouvidos. Existe, no entanto, uma intensidade de volume de
exposição aos ruídos que deve ser evitada. “A exposição frequente e por longos períodos a sons
acima de 80 decibéis – o que equivaleria a uma rua com tráfego pesado na hora do rush – pode
provocar perda auditiva e danos irreversíveis à audição”, diz a fonoaudióloga.

Os fones de ouvido podem ser usados, desde que respeitado o volume tolerável pelos ouvidos e
o tempo de exposição. “Não é aconselhável passar dos 80 decibéis nem de 8h diárias de uso. Os
ouvidos também precisam descansar.”

Além dos usuários de fones de ouvidos, profissionais que trabalham em ambientes ruidosos
devem estar atentos à saúde auditiva. “Trabalhadores da indústria, como os da construção civil
e metalurgia, motoristas de veículos de carga, entre outros, devem sempre fazer uso dos
equipamentos de segurança do trabalho, entre eles os protetores auriculares.”


Uso de objetos pontiagudos

A primeira coisa a ser abolida do dia a dia no cuidado com os ouvidos é o uso de hastes
flexíveis. “Eventualmente, elas podem ser utilizadas, mas apenas para a limpeza externa. A
toalha ou o papel macio podem ser usados com o mesmo propósito. Mais do que isso pode ser
perigoso e expor o tímpano à perfuração.” O melhor a fazer, segundo Abrahão, é secar bem os
ouvidos com o auxílio de uma toalha após o banho de chuveiro, mar ou piscina. Quando entrar
água no ouvido, a recomendação é deitar de lado e movimentar a orelha com a ajuda da mão,
para que a água encontre a saída.

A perda auditiva, ao contrário do imaginário popular, não atinge apenas pessoas com idade
avançada. Crianças logo após o nascimento contam com o teste da orelhinha para verificar se a
audição está preservada. Ao longo da vida, a recomendação da fonoaudióloga é incluir o teste
de audiometria no check-up anual, principalmente a grupos mais expostos, pelo trabalho ou
lazer, a agentes prejudiciais à audição. “O exame favorece o prognóstico. Quanto mais cedo
diagnosticado o problema, maiores são chances de proteger e tratar a audição e de o paciente
ter suas interações do cotidiano e convívio social inalterados.”


Sobre a Direito de Ouvir

No mercado desde 2007, a missão da Direito de Ouvir é possibilitar às pessoas com perda
auditiva uma melhor qualidade de vida através de uma ampla variedade de aparelhos com
preços acessíveis e alta tecnologia. A empresa adotou formato de franquia em 2013 para
possibilitar que empreendedores de diferentes segmentos - e não apenas fonoaudiólogos –
pudessem ter a chance de trabalhar com a marca, considerada uma das mais importantes no
segmento de aparelhos auditivos no Brasil. O sucesso fez com que em 2014, a rede se juntasse
à multinacional Amplifon, líder mundial em soluções auditivas, presente em 22 países. A Direito
de Ouvir possui cerca de 400 fonoaudiólogas credenciadas, uma loja própria e cinco franquias
em diferentes regiões do país. Site: http://www.direitodeouvir.com.br/


Atendimento à imprensa
ATITUDECOM | Estratégia em comunicação | (11) 2311-5889 ...

Lafergs assina termo de compromisso para produção de aparelhos auditivos para o SUS


O Laboratório Farmacêutico do Rio Grande do Sul (Lafergs) assinou, nesta quinta-feira (8), com
a Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, um termo
de compromisso para a produção de aparelho de amplificação sonora individual. A assinatura
ocorreu durante reunião do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (GECIS), no
Centro Internacional de Convenções do Brasil, em Brasília.
O Lafergs foi o único aprovado, entre todos os projetos submetidos por laboratórios oficiais na
área de produtos para a saúde (que não são medicamentos), no ano de 2015 e anunciado em
2016. Serão produzidos aparelho de amplificação sonora individual retro auricular tipo A, tipo B
e tipo C e intra-auricular tipo A, tipo B e tipo C, a serem fornecidos ao SUS.

Conforme a Política de Desenvolvimento Produtivo, o Ministério da Saúde fará a aquisição do
produto. O Lafergs terá como parceiros privados no investimento, desenvolvimento,
transferência e absorção de tecnologia a WaveTech Soluções Tecnológicas e Acústica Amplivox.
O projeto aprovado pelo Lafergs prevê a produção de cerca de 80 mil aparelhos/ano,
representando um faturamento anual de R$ 57 milhões. Segundo o diretor do Lafergs, Paulo
Mayorga, existe atualmente no Rio Grande do Sul uma fila de espera de pacientes que
aguardam aparelho auditivo, na maioria idosos. A demanda reprimida está principalmente nas
regiões Metropolitana e Vales. O mercado desta tecnologia é bastante expressivo,
correspondendo a um investimento do Ministério de cerca de R$ 114 milhões em 2015.

"O Lafergs passa por uma reestruturação a partir de sua inserção em uma política nacional, que
visa ampliar o acesso a medicamentos e produtos para saúde. Desde 2014, foram aprovadas
três parcerias para o desenvolvimento produtivo, visando à produção de aparelhos auditivos,
filtros e máquinas para hemodiálise. São importantes projetos para empresas instaladas do RS
colocando a contribuição do Lafergs no parque produtivo do estado”, destaca o diretor.
Na pauta da reunião do GECIS, estão a Plataforma Inteligente de Tecnologia em Saúde, o Plano
de Expansão da Radioterapia no SUS e parcerias para o desenvolvimento produtivo.
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, estava presente no ato de assinatura.
...

RS participa do Dia Nacional de Mobilização contra o mosquito Aedes aegypti


No Dia de Mobilização Nacional para o combate ao mosquito Aedes aegypti, a Secretaria da
Saúde divulgou uma atualização dos números de casos confirmados de dengue, zika e
chikungunya no Rio Grande do Sul. Até a última semana de novembro, foram confirmados 2.430
casos de dengue, 69 de febre chikungunya e 85 de zika vírus. O governador José Ivo Sartori e o
ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, participaram, nesta sexta-feira (2), da reunião do
Comitê Estadual Intersetorial, onde também ocorreu uma videoconferência com o presidente
Michel Temer.
Devido à chegada do verão, o governador José Ivo Sartori reforçou a necessidade de integração
e participação da comunidade e dos governos federal, estadual e municipal, entidades e
iniciativa privada para prevenir a proliferação do mosquito.
"Hoje, precisamos mobilizar as famílias para este assunto de utilidade pública. Precisamos da
união de todos que fazem parte do comitê para acabar com os focos do mosquito no estado.
Quando há o envolvimento de toda a comunidade em uma causa pública, tudo pode dar certo e
os resultados já são positivos", disse.
Para o secretário da Saúde, João Gabbardo dos Reis, "esse é um processo difícil e complicado
que exige uma série de tecnologias e especialidades para se fazer avaliação e investigação das
causas possíveis de infecção". Gabbardo alertou também para a importância das prefeituras
darem continuação às ações de combate ao mosquito, ainda que na troca da administração
após as eleições municipais.
Em todo território nacional, houve diminuição de 5% dos males transmitidos pelo mosquito
Aedes aegypti. A participação dos municípios brasileiros na campanha chega a 27?, adesão
maior que em 2015, segundo o presidente da Michel Temer.
"Esta é uma busca pela eficiência administrativa e uma luta incessante. A eliminação dos focos e
ações serão realizadas todos os dias e preferencialmente às sextas-feiras. Esperamos ainda que
alcancemos envolvimento de 100% dos municípios na campanha", ressaltou o presidente.
"Comparando este ano a 2015, foram investidos R$ 590 milhões na campanha de combate ao
mosquito e em ações por todo país para aprimorar tecnologias e aumentar a participação da
sociedade civil. Ações sanitárias são necessárias para vencer essa guerra", complementou o
ministro Ronaldo Nogueira.
Números das doenças transmitidas pelo mosquito
O número de casos notificados de dengue foi maior em relação ao ano passado, com o dobro de
casos confirmados. Das 2.430 confirmações em 106 municípios durante o ano de 2016, 2.154
(89%) dos casos foram contraídos no no estado e 182 (7%) importados e 94 (4%) aguardam
definição de Local Provável de Infecção (LPI). A maior concentração é na região noroeste.
A febre chikungunya, maior preocupação para o Rio Grande do Sul por causa de uma tendência
nacional de aumento de casos, teve 69 casos confirmados, dos quais 3 foram contraídos em em
Ibirubá, Alegrete e Ijuí.
Nas infecções por zika vírus, foram confirmados 85 casos, sendo 44 autóctones, das cidades de
Frederico Westphalen, Santa Maria, Ivoti, Rondinha, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre,
Ijuí, Santo Ângelo e Caxias do Sul. A microcefalia causada pelo vírus teve apenas dois casos
registrados, ambos adquiridos fora do estado. Outros 172 casos foram notificados, sendo que 39
estão em investigação, 16 foram confirmados com maioria sem ligação com o vírus, e mais 117
descartados.

O Ministério da Saúde repassou, para o estado, três veículos para serem usados pelos agentes
de sáude no combate ao mosquito. ...

Diagnóstico e tratamento de câncer de pele são temas da Caravana AMRIGS


Em mais uma edição da Caravana AMRIGS, realizada na sexta-feira (25/11), em Iraí, o mestre e
doutor em cirurgia, Gerson Junqueira, abordou os tipos de tumores cutâneos, seus diagnósticos e
respectivos tratamentos. O evento ocorreu no Hotel Iraí, reunindo médicos da cidade e região.

- O assunto foi uma demanda da própria comunidade médica, visto que a localidade apresenta alta
incidência de câncer de pele, ao contar com um grande número de imigrantes alemães e italianos,
que apresentam pele muito clara. Durante a palestra, focamos no melanoma cutâneo, o mais
agressivo entre as categorias da patologia - relata Junqueira.

O melanoma tem origem nos melanócitos e predomina em adultos brancos. De acordo com o
Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa de novos casos de melanoma no Rio Grande do
Sul, em 2016, é de 440 em homens e 410 em mulheres.

A Caravana AMRIGS, coordenada pelo médico Bernardo Aguiar, também proporcionou a troca de
conhecimento entre público e palestrante. O objetivo destes eventos é difundir conhecimento e
promover melhorias na saúde e nas condições sociais, políticas, organizacionais e econômicas da
classe médica e da sociedade. Interessados em agendar uma edição em sua cidade podem entrar
em contato pelo telefone (51) 3014 2007, com Maria da Graça.
...

Fórum debate o enfrentamento à tuberculose HIV/ Aids no Rio Grande do Sul


Em parceria com a Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
(Ufrgs), o Hospital Sanatório Partenon (HSP) promove de 5 a 7 de dezembro, o 1º Fórum
Gaúcho - Desafios para o enfrentamento da coinfecção tuberculose/HIV/aids, atividade alusiva
ao Dia Mundial de Luta Contra a Aids comemorado nesta quinta-feira (1º).

A abertura será às 13h30 da próxima segunda-feira (5), no auditório do Sanatório Partenon, na
Avenida Bento Gonçalves, nº 3722, no bairro Partenon, em Porto Alegre. O Sanatório Partenon
é vinculado ao Departamento de Coordenação dos Hospitais Estaduais (DCHE) da Secretaria da
Saúde (SES).

O evento vai abordar a situação epidemiológica da coinfecção tuberculose/HIV/aids e pretende
promover o debate com análise das ações ao seu enfrentamento. Três eixos temáticos
permearão as atividades: bases teóricas do quadro da vulnerabilidade e Direitos Humanos;
trajetória política e técnica construída na resposta brasileira à aids; e desafios e perspectivas no
enfrentamento à coinfecção TB/HIV/aids, considerando o papel da gestão, dos operadores da
saúde e da sociedade civil.

O fórum é destinado a profissionais e usuários da rede de atendimento à tuberculose e aids no
Rio Grande do Sul; integrantes de movimentos sociais; estudantes universitários da graduação
e pós-graduação em Enfermagem; e comunidade em geral.

...

Tapes promove atualização dos profissionais de saúde


O processo de atualização dos profissionais de saúde tem o propósito de transformar as práticas
profissionais e a organização do trabalho, a partir da problematização do processo de trabalho e
sua habilidade de dar acolhimento e cuidado às várias dimensões e necessidades de saúde das
pessoas, dos coletivos e das populações.

No 18/11, a equipe da Secretaria de Saúde recebeu para ministrar o encontro a jornalista Bruna
Longaray, que também desenvolve atividades de assessoria na Assembleia Legislativa. Bruna falou
sobre fundamentos da comunicação, marketing pessoal, técnica de atendimento ao público, a fim
de que os profissionais de recepção dos serviços de saúde possam atuar de forma humanizada
junto à população, nos aspectos variados dos riscos e agravos cotidianos.

O encontro contou com a presença dos agentes comunitários de saúde, dos profissionais de
recepção das estratégias de saúde da família e do Hospital Nossa Senhora do Carmo e dos
visitadores do programa Primeira Infância Melhor (PIM). ... ...

AMRIGS apoia iniciativas que buscam a prevenção do câncer de próstata


O mês de novembro é dedicado à prevenção da saúde integral do homem, mobilizando a
população masculina para conhecer mais sobre as enfermidades que podem afetá-la em
diferentes fases da vida. Uma doença extremamente preocupante é o câncer de próstata, que
figura como o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens, com mais de 13 mil mortes
anuais registradas no Brasil e com a previsão da incidência de 61 mil novos casos em 2016.

Dando continuidade ao projeto "Saúde Preventiva: Pratique essa Ideia!", a Associação Médica
do Rio Grande do Sul (AMRIGS) está engajada na campanha pelo Novembro Azul, promovendo
a conscientização da importância da prevenção do câncer de próstata. O prédio da entidade,
localizado na Avenida Ipiranga, 5311, em Porto Alegre, está com iluminação especial na cor
azul, além de um outdoor na área externa e as mídias digitais reforçarem o incentivo à
população masculina. Essas ações se somam a uma série de iniciativas em todo o estado que
buscam a detecção precoce da doença, e, por consequência, a redução da mortalidade por ela
causada.

O médico uro-oncologista e associado da AMRIGS, Gustavo Franco Carvalhal, destaca que no
Brasil o câncer de próstata é mais comum do que nos Estados Unidos em programas de
rastreamento. Embora seja letal, respondendo pela segunda causa de morte por câncer em
homens norte-americanos e brasileiros, a doença pode ser diagnosticada precocemente e
tratada de maneira eficaz.

- O toque retal, a dosagem do antígeno prostático específico (PSA) no sangue, os melhores
tratamentos cirúrgicos e radioterápicos são ações que reduziram a mortalidade causada por
esta enfermidade em mais de 40% desde 1990 nos Estados Unidos. Por isso, sua detecção
precoce é tão importante, pois possibilita o tratamento eficaz. Os tumores agressivos recebem
tratamentos potencialmente curativos, como cirurgia e radioterapia, que não são confortáveis
ao paciente, mas reduzem, expressivamente, os riscos de morte - destaca Gustavo Carvalhal,
que também é presidente eleito da Escola Superior de Urologia da Sociedade Brasileira de
Urologia.

Para o especialista, é fundamental que os homens com mais de 45 anos fiquem atentos e
busquem realizar a primeira avaliação, pois, a partir dessa idade os riscos de aparecimento da
doença são mais elevados. Os que tiverem antecedentes familiares diretos (pai ou irmão) com
câncer devem iniciar o exame obrigatoriamente com 40 anos. Não é preciso esperar os
sintomas, pois, em alguns casos, eles podem ser metastáticos ou tumores tão grandes que não
serão mais curáveis.
... ...

Novas tecnologias preocupam médicos que incentivam a manutenção de exercícios físicos para crianças


O incentivo à prática de atividades físicas garante o desenvolvimento e crescimento saudável
para as crianças. A pediatra e hebiatra, membro do Comitê de Adolescência da Sociedade de
Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS), Susana Estefenon, afirma que também é papel dos
médicos enfatizarem aos pais a importância da realização de exercícios desde cedo.

- Atualmente crianças e adolescentes gastam mais tempo em frente às telas do que fazendo
outra atividade e, nos últimos anos, tem me preocupado muito o impacto do uso destas
tecnologias. Muitos estudos comprovam que elas influenciam o comportamento, modificando
hábitos desde a infância, que podem causar danos ao crescimento e à saúde física - expõe
Susana.

A pediatra sugere que os pais apresentem para seus filhos todos os tipos de brincadeiras, jogos,
atividades recreativas e esportes. É preciso estar atento para notar qual é a afinidade de cada
criança, considerando a habilidade pessoal e o seu biotipo para a escolha mais acertada.

- Qualquer atividade ao ar livre, em família ou com amigos, é indicada para todas as idades
como um grande fator de proteção, desenvolvimento e crescimento mais saudável, visto que o
esporte também pode beneficiar na socialização - destaca a pediatra.

Além da escolha de um esporte, a educação para um estilo de vida saudável também é
relevante, proporcionando uma alimentação balanceada, o uso equilibrado do tempo livre e a
integração com outras pessoas. ...




Edição n° 162 - Dezembro 2016

Selecionar Edição
  • Edição n° 202
  • Edição n° 201
  • Edição n° 200







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821