Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 01 de Junho de 2020. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
31244485


Edicão n° 202 de Abril de 2020


ESPECIAL

Prefeitura de Eldorado do Sul lança campanha pelo uso de máscaras


O Prefeito de Eldorado do Sul, Ernani de Freitas Gonçalves, em conjunto com o novo
Secretário Municipal de Saúde, Rodrigo Tubino Saraiva, lançou a Campanha
#MáscaraCaseiraParaTodos. O objetivo da campanha é recomendar que a comunidade
eldoradense utilize máscara caseira sempre que houver a necessidade de sair de casa.

O Projeto de Lei nº 5.092 institui a Campanha "Máscaras Caseiras para Todos",
considerando o atual posicionamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do
Ministério da Saúde sobre o uso comunitário de máscaras artesanais como medida para
diminuir o contágio em massa da Covid-19. As máscaras cirúrgicas, N95 e PFF2 devem
ser destinadas apenas aos profissionais de saúde, que atuam diretamente no
atendimento de pacientes com o vírus.

PARA SER EFICIENTE, A MÁSCARA CASEIRA PRECISA SEGUIR ALGUMAS
ESPECIFICAÇÕES SIMPLES:

👉 É preciso que a máscara tenha pelo menos duas camadas de pano (dupla face); além
de ter elásticos ou tiras para amarrar acima das orelhas e abaixo da nuca.

👉 O uso da máscara deve ser individual e, em hipótese alguma, ser compartilhada com
outras pessoas.

👉 As máscaras caseiras podem ser feitas em tecido de algodão, tricoline, TNT ou outros
tecidos, desde que desenhadas e higienizadas corretamente.

👉 A máscara caseira deve ser lavada com sabão ou água sanitária, deixando-a de molho
por cerca de 30 minutos para manter o autocuidado.

👉 A máscara de tecido tem efetividade por até 2 horas de uso, devendo ser trocada
depois desse período devido à umidade natural produzida pela própria respiração.

👉A máscara só deve ser retirada após a higiene das mãos com água e sabão.

👉 A remoção deve ser feita pelo elástico ou laço da parte traseira, evitando tocar na
parte da frente - que pode estar contaminada.

✔ Todas as instruções de confecção da máscara caseira podem ser consultadas através
do endereço eletrônico:
https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/April/02/Minist-rio-da-Sa-de--Nota-t-cnica-
sobre
...

Estado entrega 30 leitos clínicos e dez de UTI no Hospital Regional de Santa Maria


A rede hospitalar gaúcha ganhou nesta segunda-feira (27/4) um reforço importante para
o enfrentamento do coronavírus no Estado. Com a presença do governador Eduardo
Leite, foram entregues dez novos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) e 30 de
internação clínica no Hospital Regional de Santa Maria, no município da Região Central.

Os leitos completamente equipados estarão disponíveis para receber pacientes a partir
de terça-feira (28/4) e, neste momento, serão exclusivos para tratamento de casos de
Covid-19. A entrega marca o início do funcionamento do Hospital Regional para
internações, uma demanda antiga da comunidade local. Inaugurado em 2018, com
investimento de R$ 48 milhões (R$ 30 milhões do governo estadual, R$ 17 milhões do
governo federal e o restante em doações da iniciativa privada), o hospital atendia
pacientes apenas nos ambulatórios de doenças crônicas e de cardiologia.

"É um grande reforço, previsto no nosso plano de contingência, para o enfrentamento ao
coronavírus no Estado. Agradeço a mobilização da comunidade, que tornou possível essa
inauguração antes do prazo previsto, e o esforço da Secretaria da Saúde", ressaltou
Leite.

Durante a visita, o governador, acompanhado da secretária da Saúde, Arita Bergmann,
do superintendente da Fundação Universitária de Cardiologia (FUC), Rogério Pires, e do
prefeito de Santa Maria, Jorge Pozzobom, vistoriou as instalações do prédio, com
transmissão ao vivo pela internet.

"Como, devido ao momento que vivemos, não há condições de fazermos inauguração,
optamos por vistoriar o local para acompanharmos as instalações desses equipamentos.
Esperamos que, em breve, possamos inaugurar o hospital", explicou Leite.

A inauguração de todos os 130 leitos de tratamento do Hospital Regional, voltados para
as especialidades de cardiologia, neurologia e clínica geral, estava inicialmente planejada
para julho. Em função da pandemia do coronavírus, no entanto, o governo do Estado se
apressou para viabilizar a abertura parcial de uma ala, a fim de ampliar a capacidade de
atendimento aos infectados na região Central.

“Essa abertura contou também com a participação intensa da comunidade e da iniciativa
privada, que resultou na doação de cerca de R$ 650 mil para aquisição de
equipamentos”, lembrou o governador.

O hospital não estará aberto para o público – os atendimentos funcionarão somente de
forma referenciada. Assim, os pacientes não receberão o primeiro atendimento na
instituição, mas serão encaminhados a partir de indicação médica em postos de saúde
ou outros serviços de saúde.

A secretária Arita Bergmann relembrou o longo imbróglio, iniciado em 2003, quando a
construção do hospital foi anunciada. "Nesse momento, mostramos à comunidade que,
quando se unem forças, quando se tem objetivos e metas, é possível, sim, chegar a
esse momento, com a solidariedade de entidades e o esforço do Estado. Estamos aqui
para celebrar a vida, mas, principalmente, para mostrar esse hospital se tornando
realidade”, declarou.

Está prevista para maio a instalação de mais 20 leitos clínicos para tratamento da Covid-
19, totalizando 60 exclusivos para o enfrentamento da doença. Para prestar
atendimento aos pacientes, foram contratados 83 profissionais de equipe assistencial e
30 médicos. Outros 70 leitos clínicos devem ser instalados até julho, completando 130,
sendo 120 clínicos e dez de UTI.

Em março deste ano, Leite assinou o aporte de R$ 7,2 milhões para obras de adequação
de alas e de instalações no prédio. As melhorias fazem parte de um convênio entre o
Estado e a FUC, responsável pela gestão do hospital.

O Estado também está em processo de aquisição de equipamentos para que o hospital
possa seguir em operação permanentemente, mesmo quando a situação de pandemia
normalizar. “Fizemos, junto à prefeitura de Santa Maria, todo um movimento para que
esse recurso fosse liberado o mais rápido possível, e as compras já estão em
andamento”, lembrou Leite.

A intenção é que, com o investimento de R$ 36,6 milhões, oriundos do Ministério da
Saúde, seja possível aumentar a capacidade do hospital para 198 leitos. Desse valor,
pelo menos a metade já está empenhada. ...

#TodosPelaVida: mais de mil jovens mobilizados contra a Covid-19


O combate ao novo coronavírus ganhou um reforço importante com a adesão dos seis
Centros da Juventude (CJs) do Rio Grande do Sul. A campanha #TodosPelaVida, lançada
pela Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH) em parceria com os
espaços que integram o Programa de Oportunidades e Direitos (POD), envolve mais de
mil jovens de Porto Alegre (Rubem Berta, Cruzeiro, Restinga e Lomba do Pinheiro),
Viamão e Alvorada.

“Queremos fomentar a cidadania e a solidariedade. Enquanto a pandemia impede que
oficinas e cursos aconteçam nos CJs, essa rede criada por eles, tomando todas as
precauções, surge como um forte aliado das comunidades para o enfrentamento à
Covid-19”, afirma o secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Catarina
Paladini.

Na primeira semana da campanha, os jovens entregaram cestas básicas e kits de
higiene, produziram sabonete para pessoas carentes e confeccionaram e doaram
máscaras para a Brigada Militar. A iniciativa tem quatro pilares: alimentação, higiene,
informação e fortalecimento do comércio local em áreas de extrema vulnerabilidade
social. Na primeira ação, a comunidade da Lomba do Pinheiro recebeu cestas básicas e
kits de higiene. Uma atenção especial foi dada aos motoristas e cobradores do
transporte coletivo.

"As pessoas não conseguem trabalhar, ficaram sem rendimento, e muita gente está com
dificuldade para obter alimentos. Queremos ajudar a amenizar isso. Os jovens estão
conscientes e dispostos a colaborar”, ressalta a coordenadora do CJ Lomba do Pinheiro,
Paula de Fátima Moura de Santos.

Em Viamão, uma parceria com a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs)
possibilitou que o trabalho voluntário se transformasse também em aulas de química.
Sob orientação da professora Lúcia Allebrandt da Silva Reis, jovens dos CJs Cruzeiro e
Viamão aprenderam a fazer sabão, sabonete e detergente.

"Apesar de ser um ato extremamente simples lavar as mãos com sabão, a gente vê que
muitas pessoas não têm acesso a algo tão básico. Então, essa é uma oportunidade
econômica e simples de dar um retorno efetivo à comunidade”, afirma Lúcia.

No CJ Rubem Berta, a produção de máscaras começou acelerada. A meta é chegar a 2
mil unidades por mês. A primeira doação, de 60 máscaras, foi feita pelos jovens e o
secretário Catarina Paladini ao comandante do 20º Batalhão de Polícia Militar, tenente-
coronel Fernando Gralha Nunes.

“Além da utilidade evidente do material, o carinho que recebemos significa muito, talvez
até mais do que o bem em si. Temos uma interação positiva com o POD, e agradeço a
atenção recebida, é especial e motivador”, salienta o comandante.

Os Centros da Juventude do Programa de Oportunidades e Direitos, desde sua
implantação, tornaram-se parte indissociável da paisagem de suas comunidades, onde
realizam um trabalho socioeducativo que vem transformando a vida de milhares de
jovens.

Neste momento, com o avanço da pandemia do coronavírus, a campanha
#TodosPelaVida é uma grande mobilização de união e solidariedade desses jovens em
prol de suas comunidades.

O objetivo é realizar ações integradas tendo como focos: arrecadação e doação de
alimentos para os mais vulneráveis; propagação de informações corretas sobre a
necessidade da prevenção e o cuidado com idosos e crianças; combate às fakenews;
fortalecimento dos pequenos negócios e empreendimentos locais por meio da compra de
alimentos com os valores arrecadados; e a produção de itens de proteção, como as
máscaras caseiras.

Para conhecer o POD: https://pod.rs.gov.br/

Para acompanhar o POD: https://www.facebook.com/agorapod/ ...

Corpo de Bombeiros retomará atividades de segurança contra incêndio


A partir desta terça-feira (28), o Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul
(CBMRS) retoma todas as atividades de segurança contra incêndio que estavam
suspensas temporariamente por causa da pandemia da Covid-19, com exceção do
município de Porto Alegre, que retomará os trabalhos em 4 de maio.

No dia 13 de abril, a corporação já havia anunciado a retomada parcial de serviços, com
exceção do protocolo de PPCI para primeira análise (reanálises retornam), as atividades
de consultas técnicas e reuniões presenciais relativas à segurança contra incêndio, que
agora também voltam a ser realizados.

Por motivos de controle da pandemia do coronavírus, neste primeiro momento, o
atendimento será realizado exclusivamente com agendamento prévio a ser realizado por
meio do sistema de agendamento eletrônico do CBMRS, por e-mail ou contato
telefônico. Durante o atendimento presencial, serão adotadas todas as medidas de
higienização e controle de distanciamento para evitar a transmissão da Covid-19.

FIQUE ATENTO

A) Permanecem suspensos temporariamente, desde 19 de março de 2020, os prazos de
defesa e os prazos recursais que envolvem o processo de segurança contra incêndio;

B) Os Alvarás de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (APPCI) que venceram ou
vierem a vencer nos próximos 90 dias, a contar de 19 de março de 2020, poderão ser
renovados mediante vistoria ordinária, conforme Resolução Técnica CBMRS n.º 05 –
Parte 1.1/2016. Os APPCIs que não forem encaminhados para renovação serão
considerados renovados automaticamente até 19 de junho de 2020, dispensando, para
tanto, a emissão de novo APPCI, devendo ser mantidas em plenas condições de
funcionamento e manutenção todas as medidas de segurança contra incêndio já
exigidas;

C) O prazo para a instalação das medidas de segurança de extintores de incêndio,
sinalização de emergência e treinamento de pessoal, conforme Resoluções Técnica do
CBMRS, previsto no inciso I do Art. 7º-D do Decreto Estadual n.º 51.803/2014
(regulamentação da Lei Kiss), atualizado até o Decreto Estadual n.º 54.942/2019, está
prorrogado até 27 de junho de 2020;

D) Fica suspensa até o dia 15 de maio de 2020 a cobrança da taxa de reanálise dos
PPCIs que não foram protocolados para a reanálise em até 30 dias após a retirada
(leitura) da primeira Notificação de Correção de Análise.

Mais informações podem ser obtidas mediante contato telefônico ou e-mail com as
unidades de atendimento do CBMRS no Estado. ...

Mais um acidente na BR 290 em Eldorado do Sul


Um acidente na manhã desta quinta-feira (23) envolvendo dois caminhões deixou uma
pessoa ferida (motorista do caminhão vermelho) e o trânsito congestionado na BR 290 em
Eldorado do Sul.

Devido a forte neblina próximo ao Aeroclube de Eldorado do Sul, um caminhão bitrem
carregado de soja que bateu na traseira de uma carreta vazia.

O trânsito no local no sentido capital-interior foi desviado utilizando o acostamento. Já no
sentido interior-capital segue utilizando a via normal. ...

Governo gaúcho compra 1,9 milhão de máscaras para profissionais de saúde e segurança


Mais de 1,9 milhão de máscaras e outros equipamentos de proteção individual (EPIs) foram
comprados pelo governo do Estado para profissionais da rede de saúde pública, servidores
da segurança e agentes penitenciários, que atuam na linha de frente do enfrentamento à
Covid-19. A aquisição totaliza o valor de R$ 16,3 milhões.

Na área da saúde, a finalidade é criar um estoque regulador para ser distribuído aos
hospitais e municípios, via coordenadorias regionais, como uma reserva de emergência. A
distribuição dos materiais começará logo que os fornecedores fizerem a entrega dos
materiais adquiridos durante pregão eletrônico realizado na segunda-feira (20/4).

Além das máscaras de proteção, fazem parte da compra luvas, óculos de segurança, álcool
gel, aventais, capas de sapatos e toucas descartáveis.

A Secretaria da Saúde (SES) já distribuiu, desde o início da pandemia, mais de 872 mil
unidades de máscaras protetoras e 1,1 milhão de luvas de procedimento látex, EPIs que
foram recebidos do Ministério da Saúde. ...

Rio Grande do Sul tem 639 pacientes recuperados de Covid-19


O Rio Grande do Sul tem, até esta quarta-feira (22/4), 639 pacientes considerados
recuperados de Covid-19, o que corresponde a 69,23% entre os casos confirmados.
Outras 257 pessoas diagnosticadas com coronavírus (equivalente a 27,84%) ainda estão
em acompanhamento.

"Essa informação passa a constar, a partir de hoje, no nosso painel de controle e
também é relevante para que possamos traçar nossas ações futuras", destacou o
governador Eduardo Leite, em transmissão ao vivo.

Os números somados chegam ao total de 923 casos contabilizados até esta quarta-feira,
incluindo os 27 óbitos (ou 2,93% das confirmações). Considerada uma informação
epidemiológica relevante, os dados de pacientes considerados recuperados passarão a
constar no mapa da Covid-19 do Estado, que pode ser acessado neste link.

Ampliação da rede hospitalar

O Estado vem ampliando a rede hospitalar com a instalação de hospitais de campanha.
Dos 497 municípios gaúchos, todos consultados pela Secretaria de Saúde, 148 já
responderam. Destes, 16 afirmaram estar com hospitais de campanha prontos. As
estruturas temporárias acrescentam, por enquanto, 699 leitos clínicos e 32 com
respiradores à rede de saúde do Estado.

No sábado pela manhã (18/4), o governador Eduardo Leite visitou o primeiro hospital de
campanha montado em Canoas, na Região Metropolitana, que oferece 13 leitos clínicos e
um de UTI.

A secretária de Saúde, Arita Bergmann, solicitou que os municípios que implementaram
esse tipo de estrutura informem o governo do Estado. Com o reforço dos hospitais de
campanha e dos leitos de hospitais de pequeno porte – em torno de 1.660 –, que
também terão orçamento específico, estima-se que o Rio Grande do Sul alcance um total
de 6,7 mil leitos clínicos disponíveis para o tratamento de pacientes com coronavírus.
"Temos de encaminhar essas informações ao Ministério da Saúde para que as
prefeituras recebam o recurso equivalente à internação em hospitais de campanha",
lembrou Arita.

Mesmo com todos os apelos do governo do Estado, dez hospitais gaúchos ainda não
completaram os registros acerca da taxa de ocupação, número de respiradores e de
pacientes internados com suspeita ou confirmação de coronavírus. Os dados devem ser
incluídos no Sistema de Monitoramento da Covid-19, da Secretaria Estadual da Saúde
(SES). O preenchimento se tornou obrigatório no dia 9 de março. "A atualização
constante de todos os hospitais é muito relevante para que tenhamos um controle das
informações e, assim, darmos respostas adequadas e adaptarmos nosso sistema de
distanciamento social controlado", reforçou o governador.

Até o momento, 890 pacientes ocupam leitos de UTI Adulto no Estado, o que
corresponde a uma taxa de ocupação de R$ 52,85%. Esses 890 pacientes estão
internados por motivos diversos, não somente relacionados à Covid-19 ou a síndromes
respiratórias. Desse total, há 114 pessoas internadas por Covid-19, sendo 62 em leitos
de UTI e 52 em leitos clínicos.

...

Marchezan decreta reabertura controlada do setor da construção civil


A saída gradual e progressiva da quarentena em Porto Alegre começa, nesta quinta-
feira, 23, com a liberação controlada das atividades relacionadas à construção civil,
mediante adoção de uma série de protocolos técnicos de higiene, proteção à saúde e
minimização do risco de contágio para os mais de 30 mil trabalhadores do segmento. A
determinação consta do decreto 20.549, assinado pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior
e publicado em edição extra do Diário Oficial do Município (Dopa) dessa quarta-feira, 22.
Até o momento, o isolamento para os demais setores econômicos e grupos
populacionais está mantido até o dia 30.

A decisão foi embasada na confirmação do achatamento da curva de internações por
coronavírus na Capital, como resultado das medidas estabelecidas por cerca de 30
decretos municipais com regramentos para isolar e proteger a população porto-
alegrense desde o dia 16 de março. Na noite dessa quarta-feira, Porto Alegre tinha 31
pacientes em UTIs confirmados com Covid-19, menor número de casos graves
internados em unidade de terapia intensiva dos últimos 18 dias. O pico foi de 43 em 10
de abril.

Normas - O texto autoriza atividades do setor a funcionar no período das 9h às 16h. A
troca diária de uniformes dos trabalhadores passa a ser obrigatória, assim como a
redução da circulação de pessoas nos vestiários e refeitórios de canteiros de obras,
ambiente que também deverá limitar a utilização de elevadores fechados a uma pessoa
por vez além do operador. O decreto estabelece, ainda, a obrigatoriedade do
monitoramento da temperatura corporal e de sintomas gripais dos trabalhadores e do
fornecimento de máscaras de proteção facial para seu deslocamento em transporte
coletivo.

O objetivo é manter o controle dos impactos da disseminação do vírus, monitorando a
pressão sobre as estruturas de saúde e iniciando a reativação da economia. “Precisamos
aprender a conviver com o vírus, que é uma realidade e não irá embora. Nosso desafio é
alterar hábitos para poder retomar a vida sem que a ameaça da Covid-19 nos paralise
novamente”, diz Marchezan.

O prefeito destacou que as medidas de flexibilização estão condicionadas à evolução da
pandemia e podem, a qualquer momento, retomar os níveis de isolamento anteriores,
em resposta a evidências de eventual aceleração da curva de contágio.

Regra geral - O decreto 20.549 cria, por fim, uma regra geral para o sistema de
transporte público, obrigando operadores e usuários a utilizarem máscaras de proteção
facial e autorizando o transporte de passageiros em pé (até dez em ônibus comuns e até
15 em ônibus articulados). O objetivo é garantir condições para ampliar a prestação do
serviço com segurança e impulsionar a sustentabilidade financeira das empresas de
transporte público. ...

Como administrar o convívio de filhos com pais separados em meio a pandemia


O distanciamento social foi uma medida orientada de forma bem clara para evitar a
propagação da COVID-19. O maior objetivo é não sobrecarregar o sistema de saúde. Por
motivos óbvios, esse cenário gerou um desafio para toda população, mas para pais
separados que compartilham a guarda dos filhos criou um cenário diferente.

“Defendemos o bom senso nas decisões. Não é o momento de brigar por uma
matemática exata do convívio com os filhos e, sim, de pensar na proteção das crianças",
afirmou o médico pediatra e psiquiatra infantil e psicanalista, Victor Mardini.

O convívio com ambos é importante. Por isso é preciso que os pais pautem essa decisão
no bom senso. O médico reforça que mágoas e conflitos da separação sejam afastadas
em qualquer situação, mas especificamente neste momento isso se torna mais
importante ainda.

“É preciso levar em conta que todos estão inundados por ansiedade e incertezas por
conta da pandemia. Isso por si só, gera uma situação de tensão. Por isso é importante
que se evite falar mal para criança do ex-conjugue para não agravar as coisas que já
estão difíceis", reforça.

Outra recomendação é considerar os riscos de contágio na prática. Há pais ou mães que
possuem uma profissão de maior risco, como por exemplo, os próprios profissionais da
área da saúde ou segurança. Ainda que não seja fácil, nestes casos, talvez seja o
momento de quem está mais exposto abrir um pouco mão do tempo de cuidado.

“Essas situações que são individuais de cada família devem ser consideradas. Há muitos
casais que estão optando, por exemplo, por um período maior de convivência para evitar
as idas e vindas. Isso é importante porque não expõe a criança a constantes
deslocamentos. É importante ter em mente que esse convívio vai ser recuperado depois
que tudo isso passar, finaliza. ...

Comitê Científico para enfrentamento da pandemia orienta sobre uso de máscaras


O Comitê Científico do Governo do Estado do Rio Grande do Sul de apoio ao
enfrentamento da pandemia Covid-19 publicou orientações sobre o uso de máscaras de
rosto em locais públicos, especialmente em áreas de maior concentração de pessoas.
Todas as dicas apresentadas, como sobre o uso e o descarte correto do material, são
embasadas em referências como a Organização Mundial da Saúde (OMS). Abaixo,
confira a íntegra das recomendações.

De acordo com o grupo, nenhuma máscara fornece 100% de proteção contra o novo
coronavírus, mas, bem utilizadas, podem reduzir a probabilidade de contaminação. A
orientação cita que não há estudos que deem segurança sobre o uso de máscaras de
pano, TNT, papel e outros materiais, contudo, sendo usadas corretamente ofereçam
uma barreira física que reduz a contaminação. Lembra ainda que as máscaras
profissionais devem ser reservadas, preferencialmente, para os serviços de saúde.

Além das instruções em relação ao uso de máscaras, o Comitê Científico reforça à
sociedade gaúcha que não devem ser descartadas as demais medidas recomendadas,
como o distanciamento físico, a lavagem frequente das mãos ou o uso de álcool 70%
INPM, entre outras.

Texto: Raiza Roznieski/Ascom Sict
Edição: Secom


COMITÊ CIENTÍFICO DE APOIO AO ENFRENTAMENTO À PANDEMIA COVID-19

ORIENTAÇÕES SOBRE O USO DE MÁSCARAS

Estudos recentes evidenciam que um significativo número de pessoas não apresenta
sintomas de infecção pelo novo coronavírus (chamadas de assintomáticos), mas podem
transmitir o vírus a outras pessoas tanto pela fala, como pela tosse e espirros. Dessa
forma, este Comitê Científico orienta sobre o uso de máscaras de rosto em locais
públicos, especialmente em áreas de maior concentração de pessoas como mercados,
feiras e farmácias.

1. Nenhuma máscara fornece uma proteção de 100% contra o novo coronavírus
2. Nunca usar máscaras em crianças menores de 2 anos ou em pessoas com
dificuldades respiratórias
3. Máscaras bem utilizadas podem reduzir a probabilidade de contaminação, mesmo que
não eliminem totalmente essa possibilidade
4. As máscaras são fundamentais para os profissionais dos serviços de saúde e
cuidadores de pessoas infectadas
5. Máscaras profissionais devem ser reservadas, preferencialmente, para os serviços de
saúde
6. Não há estudos que deem segurança sobre o uso de máscaras de pano, TNT, papel e
outros materiais. Apesar disso, é plausível que, se usadas corretamente, ofereçam uma
barreira física que reduza a contaminação
7. Máscaras de qualquer tipo, quando usadas de forma incorreta, podem dar uma falsa
sensação de segurança e piorar a possibilidade de contágio

O uso de máscaras deve ser sempre acompanhado das demais medidas recomendadas:
1. As máscaras de pano devem servir confortavelmente no rosto e devem permitir
respirar sem
limitação
2. As máscaras não dispensam a recomendação de distanciamento físico. A melhor
maneira de
evitar contaminação é não se expor. Máscaras devem ser usadas somente nas situações
em que é realmente necessário sair de casa
3. Lavar as mãos com frequência, com água e sabão, por 20 segundos, ou use álcool
70% INPM
4. Manter distância mínima de 2 metros entre as pessoas
5. Não tocar na boca, nariz e olhos
6. Se tossir ou espirrar, cubra seu nariz e sua boca com o cotovelo flexionado ou lenço
de papel, descartando-o imediatamente após o uso e, imediatamente, realize a higiene
das mãos.

Sobre o uso e descarte correto das máscaras

O uso e descarte apropriados das máscaras são fundamentais para garantir a eficácia e
evitar o risco de transmissão do vírus:

1. A máscara deve cobrir completamente o nariz e a boca, sem espaço nas laterais
2. Jamais tocar o rosto
3. Para colocar e retirar a máscara, tocar apenas nas alças laterais. Não tocar na
máscara
4. Lavar as mãos antes de colocar e logo após retirar a máscara
5. A duração da máscara é de cerca de duas horas. Caso a máscara fique úmida, trocar
por uma nova, seca.
6. Descartar a máscara imediatamente após a remoção: coloque a máscara num saco
plástico e ate a máscara antes de descartar no lixo doméstico não reciclável (no caso
das residências)
7. No caso dos serviços de saúde, descartar as máscaras usadas como os demais
resíduos sépticos (hospitais, clínicas, laboratórios, farmácias etc.) por conter ou
potencialmente conter vírus e outros patogênicos.
8. No caso das máscaras de pano, estas podem ser lavadas com sabão ou água
sanitária, deixando de molho por 20 minutos e, se possível, secar ao sol e passar a
ferro.
9. O uso da máscara é individual: ela não deve ser compartilhada com outras pessoas.
10. As máscaras de pano são somente para pessoas sem nenhum sintoma. As pessoas
com sintomas devem utilizar máscaras cirúrgicas e praticar o isolamento.
11. Não reutilizar máscaras descartáveis.

Referências
WHO. Advice on the use of masks in the context of Covid-19. 6 de abril de 2020.
Vídeo da OMS – Organização Mundial da Saúde (WHO) sobre uso correto de máscaras:
https://youtu.be/96mXibiZvE4

Ministério da Saúde:
https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46645-mascaras-caseiras-podem-
ajudar-naprevencao-contra-o-coronavirus

CDC Recommendation Regarding the Use of Cloth Face Coverings, Especially in Areas of
Significant Community-Based Transmission ...

Escolas da região de Canoas usam internet para enviar Aulas Programadas durante a quarentena


Com a missão de garantir a oferta de Aulas Programadas a todos os alunos da Rede
Estadual de Ensino, seja pela distribuição física dos materiais didáticos ou pelo uso de
plataformas digitais, as equipes diretivas e os professores das instituições de ensino têm
buscado alternativas para aplicar os conteúdos durante a quarentena, que será mantida
pelo menos até 30 de abril. Em escolas da 27ª Coordenadoria Regional de Educação
(CRE), da região de Canoas, mesas, cadeiras e cadernos cederam lugar,
temporariamente, a grupos no WhatsApp, no Facebook e interações em ferramentas do
Google.

Uma das instituições a adotar os meios digitais para suas aulas é a Escola Estadual de
Ensino Fundamental Antônio Francisco Lisboa, que atende cerca de 400 anos do 1° ao
9° Ano. Conforme a diretora Mabel Luiza Leal, a escolha decorreu de uma tentativa de
evitar que pais e estudantes precisassem abandonar o isolamento social, recomendado
pelo Ministério da Saúde, para buscar o material das aulas na escola. Como se concluiu,
em levantamento da instituição de ensino, que a quase todos os alunos têm acesso à
internet, foi possível aplicar esse modelo.

“A maioria dos pais e dos alunos têm Facebook, por exemplo. Nós usamos a ferramenta
desde 2011 para postar coisas sobre a escola e, por isso, este foi o primeiro recurso que
encontramos para divulgar as nossas atividades”, comenta Mabel. Os poucos alunos que
não têm acesso à internet estão tendo suas situações solucionadas pelos professores
regentes das turmas.

Conforme a diretora, as atividades on-line têm sido um sucesso: até professores de
disciplinas pouco afeitas ao mundo digital, como a Educação Física, têm usado vídeos,
textos, áudios e imagens para ensinar suas turmas. Além do Facebook, muitos docentes
criaram grupos de WhatsApp com pais e alunos. Dependendo da idade dos estudantes,
foram compartilhadas pastas do Google Drive com materiais e alguns utilizam o Google
Classroom, que se propõe a ser uma sala de aula virtual.

A surpresa, para Mabel, foi perceber que os estudantes estão até mais motivados com
as atividades digitais do que normalmente estariam com as presenciais. “Eles estão
pesquisando muito mais por conta própria. A gente fica bem grata, porque esse modelo
só vai funcionar se eles estiverem atuantes, tendo autonomia”, comenta.

A escola já estava incluindo aos poucos os recursos digitais na sua metodologia. “Os
processos vão mudando e vamos nos reinventando. Eles gostam de usar celular e
computador, por exemplo, também nas atividades”, comenta a diretora. O próximo
passo será tentar implementar videoconferências nas reuniões entre os professores e,
depois, também junto aos alunos.

Mabel acredita que a inserção da tecnologia se manterá na escola após a quarentena e
salienta que o incremento vai ao encontro de projetos realizados na instituição, como o
programa Jovem RS Conectado no Futuro, que permite a montagem de um espaço
maker na escola totalmente voltado para plataformas digitais. “Isso vai mudar bastante
a nossa realidade, porque motiva os estudantes que não querem mais ficar sentados
olhando para o quadro”, avalia.

A chefe de cozinha Nilva Magni está passando a quarentena em casa com quatro
estudantes do Francisco Lisboa: seu filho, Fabrício, de 15 anos; a namorada dele, Ana,
de 13; e os dois sobrinhos, Nícolas, de dez, e Gabriela, de sete. A adaptação ao novo
modelo de ensino tem sido boa.

“É mais difícil explicarmos o conteúdo, porque não tem um professor presencialmente
para ensinar, mas tentamos colocar os trabalhos em pauta. Toda a explicação está ali,
há questionários, links que ajudam bastante, um grupo de WhatsApp para cada turma e
o grupo das matérias, isso é muito bom”, destaca Nilva, que se sente feliz por poder
participar mais da educação das crianças.

Mais interação dos alunos

A Escola Estadual de Ensino Médio André Leão Puente, de Canoas, também está
empenhada em usar da melhor maneira possível as ferramentas digitais disponíveis.
Como os 1.070 alunos já são adolescentes, foi mais fácil fazer a adaptação, de acordo
com o diretor Felipi Vidal Fraga.

“Criamos no Google Classroom uma estrutura com todas as turmas. Junto com isso,
fizemos grupos para cada turma no Facebook e no WhatsApp. As atividades são todas
postadas no Classroom e o professor que preferir a interação com os alunos nas redes
pode conversar pelos outros meios também”, relata. Em paralelo, os docentes usam o
canal da escola no YouTube e videoconferências por Skype para fazer explicações mais
longas sobre determinadas matérias.

Assim como Mabel, Fraga tem percebido uma interação maior por parte dos alunos com
as Aulas Programadas on-line. “Eles estão entregando mais os deveres em dia e, não sei
se por que, estão tendo mais tempo disponível para as tarefas, e parecem estar
gostando mais de fazê-las”, observa. A instituição tem um projeto de realização de
podcasts pelos estudantes, que têm sido mais escutados desde o início da quarentena.

Solidariedade entre as escolas

A coordenadora da 27ª CRE, Sônia Rosa, relata que o uso de ferramentas digitais pelos
professores já era algo em processo de elaboração pelo Departamento de Educação, da
Secretaria da Educação (Seduc), e foi aplicado agora em virtude da pandemia de
coronavírus. “A devolutiva desse material tem sido muito bacana. Eu tenho visto
trabalhos maravilhosos envolvendo professores, alunos e até pais”, aponta.

Tem chamado a atenção de Sônia o espírito de solidariedade entre as escolas, com
diretores corroborando com os trabalhos uns dos outros. “Isto não tem preço para a
educação. Coloca a rede em outro patamar de aproximação com a tecnologia. Tem sido
um momento de muito aprendizado”, afirma.

As escolas têm tido liberdade para decidir sobre se querem oferecer as Aulas Programas
de forma física, entregando os materiais a pais e professores na própria instituição, ou
se preferem usar ferramentas tecnológicas. Mesmo com essa autonomia, a
coordenadora não tem dúvidas de que este momento de quarentena irá gerar
transformações permanentes.

“Jamais seremos os mesmos. O uso das tecnologias já é uma crescente, muitas escolas
têm usado e, agora, outros professores tiveram que se desacomodar. A mudança só se
realiza fazendo, tirando dúvidas uns com os outros”, defende. Sônia acredita, ainda, que
os professores também estão aprendendo com os alunos, que já nasceram entrando em
contato com a internet e as ferramentas digitais. ...

Sentir angústia, tristeza e preocupação é normal durante uma pandemia


Em tempos de isolamento social em consequência da pandemia do novo coronavírus, é
ainda mais necessário falar sobre saúde mental. “Precisamos pensar em como ficar
saudável durante esse período, para além das questões físicas”, diz a coordenadora da
Saúde Mental da Secretaria da Saúde (SES), Marilise Souza.

“É muito comum a gente se sentir angustiado, triste ou preocupado, até mesmo confuso
ou com raiva com essa situação em que estamos vivendo. A pessoa não precisa sentir
culpa por se sentir assim”, ressalta Marilise. Ela explica, porém, que é preciso dosar o
quanto esses sentimentos afetam a vida.

Uma pessoa não deve sentir vergonha de procurar ajuda, caso perceba que é muito
difícil carregar sozinho a angústia. “Existem muitos profissionais que trabalham com
saúde mental, como psicólogos, psiquiatras e outros, que estão disponibilizando seus
serviços para ajudar quem está precisando”, salienta Marilise. Um exemplo de rede de
apoio é o ReviraSaúde, onde é possível encontrar profissionais dispostos a conversar.
Também é possível procurar os serviços de saúde mental pelo Sistema Único de Saúde
(SUS).

O ReviraSaúde é uma rede virtual de profissionais que presta teleconsultoria a
população que precisar de orientações sobre o cuidado na prevenção à Covid-19 e
mesmo a profissionais de saúde que tiverem dúvidas em relação ao assunto. É um
dispositivo da Rede de Educação em Saúde Coletiva (Resc), da qual a Escola de Saúde
Pública (ESP), da Secretaria da Saúde (SES), faz parte. O atendimento é gratuito e pode
ser por telefone, Whatsapp, Skype, Facebook ou outro contato on-line. Para saber mais,
clique aqui.

Veja algumas dicas da Secretária da Saúde e da organização Mundial da Saúde (OMS)
para manter a mente saudável durante o isolamento social:

• Procure manter as rotinas de sono, faça exercícios físicos e tenha uma alimentação
saudável.

• Cuidar dos outros também faz bem. A solidariedade faz bem para quem a recebe e
também para a saúde mental de quem a faz.

• Não se exponha tanto às informações ao longo do dia. Procure fontes fidedignas e em
alguns horários específicos. É importante se manter informado, mas o excesso pode
causar ansiedade ou estresse.

• Evite o uso de tabaco, álcool e outras drogas.

• Mantenha o contato virtual com familiares e amigos frequentemente.

• Esteja alerta aos sinais de estresse e raiva nas crianças e idosos que estão sob nossa
tutela. Explique a essas pessoas a importância de se proteger e tentar acalmá-los.

• Ajude as crianças a se expressarem, com atividades criativas e lúdicas.

• O profissional de saúde não é incapaz de realizar seu trabalho nem é uma pessoa fraca
porque está passando por um momento de maior ansiedade. É indispensável fazer
pausas entre os turnos e mesmo durante o turno de trabalho.

• Buscar o sistema de saúde quando for realmente necessário.



...

Efeitos do confinamento preocupam empresas de ônibus intermunicipais da Grande Porto Alegre


A Associação dos Transportadores Intermunicipais Metropolitanos de Passageiros (ATM)
está preocupada com a redução de demanda de 75,6% no transporte de passageiros na
Grande Porto Alegre desde o início do confinamento em função da pandemia do novo
coronavírus. O tema foi tratado em reunião que representantes da ATM tiveram com o
secretário de Articulação e Apoio aos Municípios, Agostinho Meirelles, nesta quinta-feira
(9/4).

Agostinho encaminhou o assunto à Secretaria da Fazenda (Sefaz), em busca de
alternativas para uma possível solução. Na próxima semana, haverá uma reunião com a
Sefaz seguida de um novo encontro com os representantes das empresas de ônibus.

Na audiência realizada na Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios (SAAM),
estiveram presentes o presidente da ATM, Alexandre Biazus, o diretor Erico Michels e o
presidente do Consórcio TEU, Leonel Bortoncello, da empresa Viamão. "Até agora o
sistema resiste bem graças ao esforço conjunto do governo do Estado com a nossa
secrataria, a Metroplan e os operadores. O grande desafio é manter o serviço levando
em conta este problema de demanda e economia", afirmou Agostinho Meirelles.

Em documento entregue à SAAM, a ATM sugere medidas emergenciais para
salvaguardar a continuidade do serviço público de transporte a fim de evitar um colapso
no sistema. Um dos pedidos é a antecipação de aquisição de créditos eletrônicos pelo
governo do Estado, a exemplo do que solicitaram as empresas aéreas ao governo
federal.

Mesmo com a redução da circulação de passageiros, os operadores mantiveram frota
suficiente para uma demanda maior. "Para atender à demanda remanescente de 24,4%,
está se ofertando 48,6% das viagens, o que é desejável do ponto de vista de saúde",
destaca o documento. ...

DNIT executa serviços de manutenção nas rodovias federais nesta semana


O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) informa que serão
realizados serviços de manutenção nas rodovias BR-116/RS, BR-290/RS e BR-471/RS
entre esta segunda-feira (13) até sábado (18), conforme o trecho.

Os locais contam com sinalização, visando à segurança e orientação aos usuários. Em
caso de chuva, os serviços de recuperação de pista serão adiados.

Confira abaixo a programação de cada trecho:

§ BR-290/RS

(de 13 a 18 - das 7h às 17h)


- km 145 ao km 157 (Eldorado do Sul a Arroio dos Ratos) - Fresagem e recomposição do
pavimento, em ambos os sentidos;


- km 160 ao km 174 (São Jerônimo a Butiá) - Serviço de microrrevestimento, em ambos
os sentidos;


- km 269 ao km 317 (Cachoeira do Sul a Caçapava do Sul) - Roçada da faixa de
domínio, em ambos os sentidos.


§ BR-116/RS

(de 13 a 18 - das 8h às 18h)

- km 276,5 ao km 400,5 (Porto Alegre a Camaquã) - Serviços de conservação, em
ambos os sentidos;

- km 303 ao km 360 (Barra do Ribeiro a Tapes) – Serviço de restauração do pavimento,
em ambos os sentidos.


§ BR-471/RS

(de 13 a 18 - das 8h às 18h)

- km 153 ao km 203 (Santa Cruz do Sul/Pantano Grande) - Serviços de conservação da
rodovia (roçada, capina e limpeza);

- km 180 (Trevo de Rio Pardo) – Intervenção no trevo (melhorias operacionais). ...

Dia Mundial da Conscientização do Autismo


O Dia Mundial do Autismo, celebrado anualmente em 2 de abril, foi criado pela
Organização das Nações Unidas com o objetivo de promover a conscientização sobre o
tema. Esse ano, a celebração será diferente, uma vez que o cenário é de isolamento
social, necessário para prevenção da propagação do coronavírus.

Para as famílias, há um grande desafio ao lidar com a mudança de rotina imposta pelo
quadro atual do coronavírus no país e no mundo. O médico geneticista e diretor da
Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica (SBGM), Rodrigo Fock, reforça a
importância de criar rotinas no ambiente doméstico e na medida do possível procurar
conciliar as necessidades da criança com as necessidades externas provocadas pelo
necessário confinamento.

“São crianças que podem ter uma demanda em relação ao comportamento muito
grande, Há muitas vezes outros transtornos associados, como hiperatividade, transtorno
obsessivo compulsivo ou mesmo um grau de agressividade. Sem dúvida é um fator
importante a ser observado em um cenário como o atual, no qual as famílias estão em
reclusão nas suas residências”, explica.

O único caminho é trabalhar com tranquilidade uma vez que as famílias precisam criar
rotinas que sejam adequadas sem expor ninguém ao risco. Também é importante a
compreensão das pessoas que convivem na vizinhança ou arredores.

“Quando falamos em tratamento, o trabalho é terapêutico baseado em terapia cognitivo
comportamental. Terapia ocupacional, fonoaudiologia e psicologia, por exemplo,
trabalham de forma conjunta o que é importante para conseguir controlar o que são os
comportamentos disruptivos. Porém, é claro que por conta da pandemia, essas consultas
estão alteradas”, completa Rodrigo.

O médico destaca que em relação a infecção da Covid-19, a criança autista não tem
riscos diferentes do que outra criança, com exceção dos casos em que há associada uma
outra comorbidade como mal formação ou síndrome genética.

Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Brasil

O cenário do Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Brasil sofreu alterações nos
últimos anos. Pessoas que, antes, não teriam diagnóstico, passaram a ter por conta de
mudanças na forma como a medicina estuda o assunto.

“Houve uma mudança de paradigma. O diagnóstico é clínico e comportamental, ou seja
não há exame genético, de sangue ou bioquímico que determine que alguém é autista.
Existem diversas técnicas e forma de se avaliar a criança entre questionários,
ferramentas e exercícios que ajudam a fazer esse diagnóstico. Por conta dessa forma
que foi se refinando com o passar do tempo, entendeu-se que na verdade não existe um
autismo, como descrito antigamente, mas sim um espectro no qual há diversos graus
diferentes de comprometimento para cada característica clínica, do mais leve ao mais
grave", finaliza o geneticista Rodrigo Fock.

Os dados internacionais mais recentes mostram uma prevalência de um para cada 54
pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). No Brasil, não há uma estatística
oficial ...

Estado distribui cloroquina para o tratamento de casos críticos de Covid-19


O Rio Grande do Sul recebeu 25 mil comprimidos de cloroquina 150 mg para o tratamento
de pacientes graves e hospitalizados de Covid-19. Alguns hospitais gaúchos foram
oficializados para demonstrar interesse em receber o medicamento. A distribuição é
realizada por meio das Coordenadorias Regionais de Saúde (CRSs).

O volume é suficiente para o atendimento às pessoas com a forma mais grave da doença
que estejam em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O governo federal deve enviar mais
doses nas próximas semanas.

A cloroquina ainda não tem eficácia comprovada cientificamente contra a Covid-19, mas
estudos estão sendo realizados em diversos lugares do mundo. De acordo com o ministério,
os resultados preliminares são promissores, e a decisão de uso do medicamento cabe ao
médico avaliar caso a caso. A automedicação é absolutamente desaconselhável. ...

Hospital São Vicente de Paulo, de Osório, recebe 10 leitos de UTI para ampliar atendimento à Covid-19


Mais dez leitos de UTI foram entregues na sexta-feira (3/4) ao Rio Grande do Sul, desta
vez no Hospital São Vicente de Paulo, de Osório. Eles fazem parte do plano de
contingência de enfrentamento à Covid-19 no Estado. Os equipamentos foram
solicitados pela Secretaria da Saúde (SES) ao Ministério da Saúde. Este é o terceiro lote
de dez leitos com equipamentos de UTI que chega ao Estado para atender à demanda
da pandemia.

Outros 20 leitos já foram instalados no Hospital Universitário de Canoas e no Hospital de
Clínicas de Passo Fundo. Na quinta-feira (2/4), a SES também entregou outros dez leitos
de UTI ao Hospital Universitário de Santa Maria, sendo este lote de responsabilidade do
Estado.

A diretora do Departamento de Assistência Hospitalar e Ambulatorial (Daha), Lisiane
Fagundes, disse que o Rio Grande do Sul vem se organizando não só com os leitos já
existentes de UTI e clínicos de internação para retaguarda, mas também com abertura e
ampliação de novos leitos em hospitais que já tenham estrutura física, fornecendo
equipamentos e equipe.

Segundo Lisiane, para as instituições que já se manifestaram para participar do Plano de
Contingência Hospitalar de enfrentamento à Covid-19, a SES solicitou ao Ministério da
Saúde a habilitação de leitos que estão prontos para uso e serão necessários para o
tratamento dos doentes da pandemia.

Os kits para instalação de leitos completos de UTI incluem aparelhos como monitor,
bomba de infusão, ventilador e cama hospitalar.

Entre as ações para ampliação da capacidade de leitos no Rio Grande do Sul estão as
seguintes:

• Contrato de locação com o Estado aditivado para colocar na rede mais 78 leitos em 12
hospitais. Já foram entregues dez leitos de UTI no Hospital Universitário de Santa Maria.

• Solicitação para o Ministério da Saúde disponibilizar equipamentos para hospitais com
estrutura física e equipe organizada. No total, foram solicitados 279 equipamentos, dos
quais 30 já estão sendo instalados na primeira leva (hospitais em Canoas, Passo Fundo
e Osório).

• Chamamento público para hospitais que têm leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) e
privados ou somente privados para que ofertem leitos para compra. ...

Aulas programadas na rede estadual de ensino iniciam nova etapa


Com a prorrogação do período de suspensão das aulas presenciais até 30 de abril, para
combater a disseminação do coronavírus, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc)
começa, a partir de segunda-feira (6/4), uma nova etapa das aulas programadas na
rede estadual de ensino.

As aulas estão sendo disponibilizadas pelas escolas estaduais de modo que todos
tenham acesso. Seja por mensagens de WhatsApp ou Facebook, compartilhamento de
arquivos de áudio e vídeo, por e-mail, por salas virtuais no Google ou até mesmo pela
entrega de materiais didáticos para os alunos que não podem se conectar à internet.

Os professores, a partir da próxima quarta-feira (8/4), participarão do Módulo II do
curso on-line, diretamente pelo Portal da Educação, que tratará da elaboração do
Currículo Referência do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, contando com a
participação direta de mais de 42 mil docentes nesta capacitação.

Conforme o diretor do Departamento de Educação da Seduc, Roberval Furtado, este é
um momento de continuidade das ações pedagógicas implantadas no decorrer do mês
de março.

“As aulas programadas, assim com o teletrabalho e a formação dos docentes, têm sido
uma ferramenta efetiva de aprendizagem. Agora, a partir do dia 6, teremos uma nova
etapa deste processo”, afirma Furtado. “Vale destacar que as atividades propostas pelas
aulas programadas não precisam, necessariamente, utilizar a internet. Os educadores
podem utilizar das mais variadas formas de atividades que vão desde a produção de
textos à elaboração de vídeos; da utilização do caderno ao blog da escola.”

Aulas programadas

As aulas programadas são atividades escolares, presenciais ou não, previamente
elaboradas com base em objetos de conhecimentos já abordados em sala,
compreendendo um conjunto de aulas a serem cumpridas pelos estudantes e seus
respectivos professores. A entrega das atividades dos alunos será realizada após o
retorno das aulas presenciais na rede estadual de ensino. O estudante Gabriel Assuncão,
da Escola João Leopoldo Vogt, da 21ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), é um
dos milhares que desenvolvem atividades em casa, com orientação dos professores,
durante o período de suspensão das aulas. ...

AMRIGS pede apoio às orientações da OMS na prevenção da COVID-19


Uma iniciativa da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs)
solicita às autoridades que permaneçam com as medidas de isolamento social como forma
de prevenção contra o coronavírus. A carta, que conta com assinatura de mais de uma
centena de entidades, entre elas a Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS),
relata que, no Rio Grande do Sul, por exemplo, a grande maioria dos municípios ainda
aguarda a chegada de equipamentos de proteção individual, como máscaras, luvas e
aventais, além de aparelhos hospitalares, como respiradores mecânicos. O conteúdo pede
firmeza das autoridades das esferas municipal, estadual e federal para manter o comércio
fechado e as aulas suspensas. Mesmo os serviços reconhecidos legalmente como
essenciais, e que precisam seguir em atividade, devem atender meticulosamente todas as
orientações de prevenção e proteção.

...

Pele dos profissionais da saúde que atendem na linha de frente contra o coronavírus exige cuidado


Um estudo recente publicado no Jornal da Academia Americana de Dermatologia
descreveu as alterações cutâneas em profissionais da saúde que atenderam nas
emergências na epidemia causada pelo coronavírus, na China. O dado que chama a
atenção é que 97% relataram alguma queixa cutânea. Os locais mais afetados foram
dorso nasal, região malar, fronte e mãos (83,1%). Ressecamento (70.3%) e
descamação (61.6%). Os achados foram mais frequentes em quem utilizava máscara
por mais de 6 horas por dia (máscara N 95). O uso de luvas e a frequência aumentada
de lavagem estavam relacionados com as queixas nas mãos.

“Temos recebido mensagens de pacientes e profissionais da área da saúde com queixas
de ressecamento nas mãos e nas áreas que entram em contato com a máscara. A
orientação é que hidratantes sejam aplicados após cada higienização das mãos, seja
com água e sabonete ou álcool gel. Preferencialmente hidratantes hipoalergênicos, sem
fragrância (sem perfume) e que sejam mais cremosos”, afirma a diretora da Sociedade
Brasileira de Dermatologia – Secção RS, dermatologista, Juliana Boza.

Da mesma maneira, o rosto precisa ser hidratado. O uso de hidratantes evita o
ressecamento, ajuda na manutenção da barreira cutânea e reduz o surgimento ou
agravamento das dermatites nestes locais.

Fonte: PlayPress ...

Como lidar com a saúde mental das crianças e dos adultos no isolamento social


A complexa situação de confinamento das famílias é necessária e exige um preparo
especial em relação a saúde mental de toda a população. Uma das maiores
preocupações iniciais dos pais é como explicar para as crianças tudo que está
acontecendo no mundo? O O médico pediatra e psiquiatra infantil e psicanalista, Victor
Mardini, comenta que o grau de compreensão varia de acordo com a maturidade e idade
de cada um, mas que a transparência é indispensável para qualquer faixa etária.

“Para uma criança pequena é importante explicar. Talvez fazê-lo lembrar alguma vez
que tenha tido uma gripe, só que explicar que dessa vez se passar para o vovô e vovó
será muito mais forte. Já para uma criança maior ou adolescente é importante estar
presente e saber selecionar a informação evitando que cheguem até ele inverdades
sobre o assunto. É uma situação complexa que está acontecendo com o confinamento.
Por um lado é interessante, é que os pais estão ficando em casa com trabalho tipo
home-office ou com suspensão das atividades externas e junto aos seus filhos. Por outro
lado o ambiente é muito angustiante. Há uma série de incerteza. Quanto menores as
crianças são, mais elas espelham o sentimento que passa pelos pais”, explica.

Inevitavelmente as crianças perceberão a tensão emocional dos pais. O quadro mais
desafiador é o cenário de incerteza, quanto a doença que ainda é muito desconhecida e
quanto ao fato de haver suprimentos para se manter em casa com os filhos.

“Notícias de supermercados com prateleiras vazias, assustam muito as pessoas e
consequentemente é difícil para os pais poderem desenvolver um momento tranquilo
com os seus filhos. Neste sentido existe a garantia dos supermercadistas e produtores
de que não vai faltar alimentos, o que é importante que seja compreendido por toda
população”, completa.

Um aspecto social que deve ser positivo é uma visão coletiva da população e essa lição
deve ser aprendida e transmitida aos filhos. O confinamento em casa não é apenas para
si próprio, mas para evitar que outras pessoas fiquem doentes. Nesse aspecto, o médico
também reforça a importância de conversar com os adolescentes sobre a importância,
neste contexto, de prevenção da propagação da doença para os mais velhos, uma vez
que por estarem lidando com uma fase de conflitos interiores é comum que estejam
mais voltados para si próprio.

Fonte: PlayPress ...

Hospital Moinhos de Vento utiliza telemedicina para humanizar atendimento a pacientes na UTI adulto


O equipamento utilizado nas consultas por telemedicina do Hospital Moinhos de Vento
passou a ter uma nova finalidade esta semana. Além de auxiliar em diagnósticos,
recomendações e condutas, a tecnologia está permitindo a visita virtual de familiares a
pacientes internados na UTI de isolamento – diminuindo a saudade de quem teve o
contato físico suspenso em função do coronavírus.

A permanência da família ao lado dos pacientes é uma importante ferramenta para o
tratamento. Por isso, o carrinho de telemedicina – que inclui, entre outras ferramentas,
um monitor e uma câmera de vídeo de alta resolução – está sendo usado como interface
entre quem está internado na UTI de isolamento e seu mundo afetivo. A família recebe,
por e-mail ou SMS, um link para conexão que permite o contato direto. O equipamento é
deslocado até o leito permitindo o contato visual entre o paciente e seus familiares.

Para Felipe Cabral, coordenador médico de Saúde Digital do Hospital Moinhos de Vento,
a proximidade dos familiares é um dos fatores que levam a uma recuperação mais
rápida. “Podemos garantir a permanência, pelo menos virtual, do elo entre o paciente
que precisa de cuidados intensivos e as pessoas que são importantes para ele. Essa
humanização é fundamental”, destaca o médico.



Benefício para o tratamento

Idealizado pelo Hospital Moinhos de Vento, o projeto UTI Visitas foi implementado em
hospitais de todo o Brasil. Por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento
Institucional do SUS (PROADI-SUS), a iniciativa comprovou que a permanência de
familiares com pacientes de UTI representa benefícios importantes para os tratamentos.
Além de criar um vínculo com a equipe, aumenta a segurança em relação ao
atendimento e torna a experiência menos traumática.

Com o avanço da pandemia do coronavírus, no entanto, os hospitais tiveram que abrir
mão desse importante aliado. “A visita é algo muito importante, e a telemedicina vai nos
ajudar no contato com o paciente. Também poderemos apresentar a equipe à família,
estando perto mesmo à distância”, destaca Daiana Barbosa, coordenadora de
enfermagem do Centro de Terapia Intensiva Adulto do Hospital Moinhos de Vento.

A editora de livros Janine Mogendorff e a filha Elisa puderam fazer a primeira visita
virtual no início da semana. Janine elogiou a iniciativa do hospital em proporcionar esse
momento. “Achei ótima a experiência. Fiquei um pouco temerosa por conta da minha
filha, mas foi bom colocar uma imagem para aquilo que até então era um pensamento.
Às vezes, o pensamento é mais sinistro do que a própria realidade”, avaliou a esposa do
paciente internado na UTI de isolamento. ...

Fundação Liberato colabora com produção de protetores faciais


Engajada em ações que buscam colaborar com a prevenção ao coronavírus (Covid-19), a
Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, em Novo Hamburgo, está
produzindo protetores faciais que serão doados para profissionais da saúde.

A escola tem condições de produzir, aproximadamente, nove equipamentos de proteção por
dia. O trabalho está sendo executado em impressoras 3D pelo servidores da Fundação
Augusto Mombach, Fabio de Souza e Jeferson Wiederkehr.

Segundo o diretor executivo, Ramon Fernando Hans, a ajuda, apesar de singela, é
fundamental numa hora dessas. “Poder colaborar com a comunidade, mesmo com pouco,
faz parte do espírito de coletividade que incentivamos na escola. Em muitas ocasiões
pedimos a colaboração da comunidade. Agora, estamos fazendo a nossa parte”, destacou.

A Liberato está apoiando um projeto que teve início na Universidade Feevale. Para
continuar a produção das máscaras, a instituição aceita doação de materiais necessários
(filamento de PLA 1,75 mm e 2,85 mm e chapa de acetato diâmetro 0,5 mm). Contatos
pelo whatsapp (51) 99135-2363. ...




Edição n° 202 - Abril de 2020

Selecionar Edição
  • Edição n° 203
  • Edição n° 202
  • Edição n° 201







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821