Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 05 de Dezembro de 2019. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
30792861


Edicão n° 197 de Novembro de 2019


EDUCAçãO

Alunos gaúchos conquistam medalhas nas Paralimpíadas Escolares em São Paulo


Movidos pela superação, mais de 60 atletas gaúchos viajaram para São Paulo rumo às
Paralimpíadas Escolares 2019 e retornaram neste sábado (23/11). Pela manhã, o
governador Eduardo Leite estava no aeroporto Salgado Filho, embarcando para cumprir
agenda de compromissos fora do Estado, e encontrou parte dos atletas que
desembarcavam trazendo nas malas mais do que medalhas. Os representantes do Rio
Grande do Sul agora têm várias histórias para contar, novos amigos e grande estímulo
para continuar treinando.

As provas foram realizadas no Centro de Treinamento Paralímpico de São Paulo. A
solenidade de abertura, que aconteceu no salão eventos do hotel Holiday Inn, contou
com a presença do secretário do Esporte e Lazer, João Derly, que também acompanhou
as competições realizadas no primeiro dia. Ele destacou a importância de fomentar o
esporte paralímpico no Estado. “O evento e as instalações do Centro Paralímpico são
maravilhosos. Esses atletas já são vitoriosos na vida e merecem nossa admiração.
Estamos buscando retomar o crescimento do paradesporto gaúcho. Um dos projetos é a
realização de festivais paralímpicos em municípios do Rio Grande do Sul ”, comentou
Derly.

Histórias de superação

Exemplo de dedicação e muita alegria, a aluna da Associação Escola Louis Braille, Doris
Santana de Andrade, 12 anos, deficiente visual diagnosticada com retinopatia da
prematuridade, veio de Pelotas acompanhada do técnico, Huibner Machado da Silva.
Viajando pela primeira vez sem os pais, a conquista das medalhas de ouro, de prata e
de bronze no atletismo foi motivo de euforia e surpresa, pois ela iniciou os treinos em
março deste ano, e a evolução chegou mais rápido do que o esperado. Apesar de
comemorar muito a atleta deixou claro que o prêmio mais valioso é a oportunidade de
participação: “Estou muito feliz, gostando muito de estar aqui. Ganhar as medalhas é
muito legal, mas o mais importante é essa alegria, diversão e a oportunidade de fazer
novas amizades”, afirmou.
O técnico e treinador também comemora a conquista das medalhas, mas destaca que a
melhor façanha é o salto no desenvolvimento motor. “Quando começamos os treinos,
ela tinha muita dificuldade na marcha, quando fazia acelerava muito o passo e hoje já
consegue correr bem. Ela sai das paralimpíadas muito empolgada para continuar os
treinos”, comemora Huibner.

Nem a distância percorrida de cerca de 500 quilômetros de Alegrete para Porto Alegre e
a espera no aeroporto para decolar rumo a São Paulo tiraram o sorriso do rosto de
Viviane Castilhos Machado, 12 anos. Ela está acostumada a enfrentar desafios desde
que nasceu diagnosticada com paralisia cerebral. A doença afetou a coordenação motora
e, devido às dificuldades em movimentar os braços, Viviane joga bocha com os pés. Pela
primeira vez nas paralimpíadas, a atleta não traz medalha, mas algo muito gratificante
dessa viagem.

Conforme a mãe da garota, Maira Dianefer da Rosa Castilhos, que acompanhou a
menina durante a competição, a atleta incluirá a prática de outras atividades esportivas
na rotina. “Com 18 anos me tornei mãe de uma menina linda que está sempre com
sorriso no rosto”, conta. A menina tinha seis anos quando foi adotada e logo começaou a
frequentar a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e realizar outras
atividades, como equoterapia. “Seu sonho era ir para escola e, quando foi, ficou muito
feliz e se sentiu determinada a evoluir. Ela não se movimentava, só mexia os olhos e
agora senta, caminha e fala. Ela adora jogar e fazer amizades, ganhando ou perdendo
está sempre procurando melhorar. A bocha é o primeiro esporte que pratica, mas com a
experiência maravilhosa que estamos tendo aqui, vamos pensar em outras modalidades
que ela queira praticar”, projeta a mãe, que é prima biológica da menina.

Viviane entrou no esporte estimulada pela fundadora da Associação Esporte para Todos,
Josi Pillar, e pela direção do Instituto de Educação Osvaldo Aranha, onde estuda. Ela
realiza seus treinos em casa com o apoio do Grupo Esporte para Todos, de Alegrete, que
empresta os materiais.

Destaque para natação

Foi a partir de um projeto escolar em uma escola estadual especial para alunos com
deficiência intelectual, em Porto Alegre, que o esporte paralimpíco passou a fazer parte
da vida das professoras de Educação Fisica Ana Paula Vieira Malanovicz e Fernanda
Michaelsen Martins, que criaram a Esporte+, em 2013. Aos poucos foram surgindo
outros interessados e o projeto virou a Associação Esporte+, que atualmente conta com
mais de 30 atletas e alguns voluntários. A associação é administrada por pais de atletas.
Os treinos de atletismo ocorrem no Parque Municipal Alim Pedro, no bairro Iapi, em
Porto Alegre. Os treinos de natação acontecem no Grêmio Náutico União, sede Moinhos
de Vento, clube parceiro da instituição.

O projeto Chuá da Apae Viamão também classificou duas nadadoras que, acompanhadas
pela professora Geneci Wiest, estiveram pela primeira vez nas paralimpíadas. Desde
2005, atividades aquáticas para alunos com deficiência são desenvolvidas no Clube dos
Casados, por meio do projeto. A natação está presente no programa oficial de
competições desde 1960, em Roma, quando começou a paralimpíada. A primeira
participação brasileira no quadro de medalhas ocorreu em Stoke Mandeville, em 1984.

Paracergs classifica para Paralimpíadas

Participam da competição, que é considerada o maior evento mundial para crianças e
adolescentes com deficiência em idade escolar, alunos de instituições de ensino públicas
e privadas, com idade de 12 a 18 anos, em times feminino e masculino. A Secretaria do
Esporte e Lazer (SEL) é responsável por realizar o Campeonato Paradesportivo
Estudantil do RS (Paracergs), seletiva estadual que classifica os alunos para o evento
nacional. Além da realização do Paracergs, o governo do Estado disponibiliza transporte
aéreo para a delegação gaúcha, com recursos da Lei Pelé. O Comitê Paralímpico
Brasileiro (CPB), realizador do evento, paga a hospedagem e a alimentação. Os
medalhistas (ouro, prata ou bronze) têm chances de receber a Bolsa Atleta, conforme
algumas especificações determinadas em lei.

Resultado parcial do quadro de medalhas do RS na Paralimpíadas 2019:

ATLETISMO: 40 medalhas
16 medalhas de ouro
14 medalhas de prata
10 medalhas de bronze

Dóris Santana de Andrade
Henrique Vieira Mendes
Keimilymn Amaral Campos
Martina Contessa Zefino
Bruna Geremias Gonzales
Higor Camargo Farias
Erick Kauã dos Santos Soares
Rhuan Ribeiro Duarte
Fabrício Castelo Christ
Thiago Renê Santos dos Santos
Arthur Jesus da Silva Vargas
Murillo Vaz Medeiros
Emanuela Formagini Pancotte
Matheus Vasconcelos da Gama
Natália da Silva Siqueira
Fabiana Fontana da Silva
Julia Brandão de Lima

NATAÇÃO: 29 medalhas

José Arthur Furtado
Derick de Moura
Larissa Rodrigues
Gabriel Corso
Cauê Ribeiro
Raphaella Souza do Amaral
Ana Carolina da Silva Matias
Matheus Henrique da Silva Rodrigues
Mara Rubia Piquelete Ennes

Observação: o resultado final da competição, até o fechamento da matéria, não havia
sido divulgado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)
...

Governo, Undime e Famurs firmam parceria para unificar serviços das redes estadual e municipal de ensino


O governo do Estado, a União dos Dirigentes Municipais de Educação do Rio Grande do Sul
(Undime) e a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs)
oficializaram, na manhã desta quinta-feira (21/11), uma parceria inédita que fortalecerá o
regime de colaboração entre o Estado e as prefeituras por meio do planejamento e
implementação de políticas educacionais.

A intenção do acordo, firmado em cerimônia no Palácio Piratini, é unificar aspectos
educacionais nas redes municipal e estadual. A partir de 2020, por exemplo, o calendário
escolar será unificado – as aulas de ambas as redes começarão em 19 de fevereiro. Para
2021, o calendário de matrículas, que ocorre em períodos diferentes, também deverá ser ao
mesmo tempo.

"Poderemos avançar em tantos outros serviços para garantir o melhor atendimento na área da
educação", disse o governador Eduardo Leite

“A partir deste momento, avançamos na questão dos calendários e em um mesmo sistema de
matrículas e, portanto, na melhoria da eficiência na prestação de serviços compartilhados.
Com esse entendimento, poderemos avançar em tantos outros serviços para garantir o melhor
atendimento na área da educação à população gaúcha”, celebrou o governador Eduardo Leite.

Além disso, a parceria promove a formação continuada dos profissionais da educação,
organiza, em regime de colaboração, a oferta dos serviços educacionais e otimiza os recursos
financeiros destinados ao transporte escolar.

Outro ganho é a implementação do Sistema Unificado de Matrículas on-line para atender as
redes públicas de ensino. Qualifica ainda os espaços físicos e promove melhoria da
infraestrutura dos estabelecimentos de ensino das redes públicas mediante esforços dos entes
para garantia da efetividade do resultado.

O secretário da Educação, Faisal Karam, comemorou o importante momento para a educação
pública. "Tivemos dois parceiros fundamentais, a Undime e a Famurs. Esse regime de
colaboração será uma ferramenta de otimização de recursos e de ações coletivas. O primeiro
passo foi dado hoje", acrescentou.

O presidente da Undime, Marcelo Mallmann, e a coordenadora da área técnica de Educação da
Famurs, Fátima Ehlert, assinaram o acordo representando as entidades.

...

Gramado irá sediar a etapa regional dos Jogos Escolares da Juventude 2020


O Rio Grande do Sul será sede da Etapa Regional dos Jogos Escolares da Juventude
(JEJ) em 2020. A definição foi acertada após a visita ao RS dos representantes do
Comitê Olímpico do Brasil (COB), Kenji Saito e Arthur Corrêa, organizada pela Secretaria
do Esporte e Lazer (Sel).

O município de Gramado vai sediar a etapa regional do JEJ em 2020. A decisão foi
anunciada pela diretoria do COB no sábado (16/11) ao titular da Sel, João Derly. No final
de outubro, a delegação da entidade esteve no Estado para conhecer a infraestrutura
dos ginásios e quadras de esportes de clubes e instituições gaúchas.

João Derly lembra que, desde a década de 70, o Estado não sedia este tipo de jogos.
”Gramado sendo sede regional do JEJ em 2020, além de trazer a movimentação
esportiva para o Estado, vai contribuir para a economia de diversos segmentos
diretamente envolvidos. Também poderão ser realizadas outras ações sociais por meio
do COB, como foi feito durante a Copa América 2019”, explica o secretário.

Os Jogos Escolares da Juventude reúnem, anualmente, mais de 2 milhões de jovens nas
seletivas municipais e estaduais, representando escolas públicas e privadas de quase 4
mil municípios. A fase nacional, organizada pelo COB, conta anualmente com mais de 6
mil alunos-atletas de 12 a 17 anos de todo o Brasil. Integram os jogos as seguintes
modalidades esportivas: ginástica artística, taekwondo, atletismo, badminton, basquete,
ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, natação, tênis de mesa, vôlei, vôlei de
praia, wrestling e xadrez. ...

Aos 9 anos, estudante de Palmeira das Missões escreve primeiro livro digitalizado pela Seduc


A paixão pela leitura inspirou a pequena Isabelle Bonini, de nove anos, a escrever um livro.
Estudante do Colégio Estadual Três Mártires, de Palmeira das Missões, a menina é uma das
participantes da plataforma Elefante Letrado, que tem parceria com o Estado e incentiva a
leitura por parte das crianças da rede estadual de ensino.

A história de Isabelle chegou ao governador Eduardo Leite quando a diretora-executiva da
Elefante Letrado, Mônica Timm, enviou um vídeo para Leite, no qual a menina descrevia a
paixão pela leitura e pela escrita. O governador respondeu com outro vídeo, incentivando a
menina a seguir o caminho.

Para concretizar a conversa entre os dois, a Secretaria da Educação (Seduc) trouxe a menina
ao Palácio Piratini, nesta quarta-feira (13/11), onde foi recebida pelo governador. Isabelle
entregou uma cópia do livro, autografada e com uma dedicação especial ao chefe do
Executivo, e resumiu a história que criou. "Só não conta tudo para não ter muito 'spoiler'",
brincou Leite.

O governador garantiu que pretende estender a plataforma de leitura digital, ampliando para
todas as escolas da rede estadual. Serão 120 escolas inicialmente, com previsão da expansão.
"Espero que o exemplo da Isabelle sirva para estimular outras crianças", explicou.

O livro de Isabelle, chamado "Adara, confissões de uma órfã", conta a história de uma menina
que foge da guerra civil na Síria para a Espanha. De lá, foi enviada para o Brasil, onde foi
recebida muito bem e se destacou pela habilidade que tinha para a dança do ventre. "Me
inspirei em uma novela e na música 'Diáspora', dos Tribalistas, e também me informei sobre a
situação da Síria", contou a estudante.

Embora a menina nunca tenha saído do Brasil ou do Rio Grande do Sul, teve criatividade para
ambientar a história, fazendo pesquisas em livros informativos. Na plataforma Elefante
Letrado, leu mais de 450 livros, entre eles, histórias de Monteiro Lobato e de Machado de
Assis.

A Seduc também editou e criou uma versão digital do livro - o primeiro livro digital do Estado,
conforme destacou o secretário da Educação, Faisal Karam. "A Isabelle é um exemplo da
qualidade e da força da nossa escola pública, que muito nos orgulha. O livro dela é o primeiro
exemplar de muitos que virão. Queremos incentivar cada vez mais o gosto pela leitura, a
partir de plataformas como a Elefante Letrado, que estimulam o hábito de ler”, disse Faisal.

O Elefante Letrado é uma plataforma digital de leitura, direcionada a alunos dos anos iniciais e
Ensino Fundamental. Projetada para desenvolver a formação do hábito da leitura e a
compreensão, conta com mais de 900 títulos em português e inglês, de autores como Ziraldo,
Monteiro Lobato, Martha Medeiros, Charles Perrault e Marcelo Carneiro da Cunha. ...

Alunos da rede estadual autografam obra na Feira do Livro de Porto Alegre


Diversidade: esta foi a marca da 27ª edição do livro "Crianças e Jovens do Rio Grande:
Escrevendo Histórias" que foi lançado na manhã desta sexta-feira (8/11), na Praça de
Eventos da Secretaria da Educação (Seduc), na capital.

Na parte da manhã, na Seduc, os 96 estudantes selecionados para participar da obra
foram recebidos com festa e ganharam um diploma de participação. Logo após, na 65ª
Feira do Livro de Porto Alegre, foi a vez de eles distribuírem autógrafos.

O secretário da Educação, Faisal Karam, destacou a importância do evento que tem a
proposta de incentivar a leitura e o exercício da produção textual. “Este é um momento
de grande oportunidade que dá autoafirmação aos nossos estudantes. A partir do
momento que eles escrevem os seus sentimentos e publicam isso num livro, estão
potencializando seus talentos, conhecimentos e habilidades”, afirma.

Conforme a assessora do setor de Livros e Fomento à Leitura do Departamento de
Educação da Seduc, Ana Helena Laux, o projeto busca destacar o protagonismo e a
autoria dos alunos da rede estadual. “É um grande momento de festa da educação
gaúcha. O programa, que já existe há 27 anos, contribui para dar mais visibilidade ao
potencial dos estudantes de todas as regiões do Estado”, explica.

Histórias de destaque

Antonia Gehlen de Marco tem 15 anos e é do 1º ano do Ensino Médio da Escola Sílvio
Sanson, de Bento Gonçalves. Com o poema "Moça...", ela fala da violência contra a
mulher e critica o machismo. Com um tom comovente, a aluna conta a história da moça
que foi diversas vezes espancada até ser morta. “ Os relatos de violência contra as
mulheres estão cada vez mais frequentes e eu fico revoltada com essa situação. Os
homens não podem nos tratar como objetos, nem como troféus, mas, sim, com respeito
e empatia”, enaltece.

Secretário da Educação, Faisal Karam também esteve na sessão de autógrafos na Feira
do Livro - Foto: Diego da Costa / Ascom Seduc (foto anexa)
Outro tema importante destacado no livro foi a questão da discriminação racial. Bastante
incomodada com a situação que vive na prática, a estudante Letícia do Amarante, 17
anos, escreveu o poema "Quem Sou Eu?". Ela, que está no 3º ano do Ensino Médio, da
Escola Abramo Pezzi, de Caxias do Sul, buscou falar sobre a escravidão, as religiões de
matriz africana e as situações de racismo que ocorrem atualmente. “Esta obra é
inspirada na minha realidade, e como o povo negro sofre até hoje. As pessoas precisam
se conscientizar e estudar história para não cometerem os mesmos erros”, afirma.

Caroline Tissot de Queiroz, 20 anos, está no 2º ano do Ensino Médio da Escola República
Argentina, de Santa Rosa. Com o poema "Eu tenho Síndrome de Down", ela contou
sobre a morte de sua mãe, a superação no colégio, o apoio dos professores e sobre o
seu sonho de um mundo sem preconceito. “Esta é minha vida e eu gosto muito de
literatura, de inglês e sou apaixonada pela escrita. Meu maior sonho é ser famosa”,
conclui.

Tarde de autógrafos

Os 96 estudantes que participaram do livro estiveram presentes na praça principal da
65ª Feira do Livro de Porto Alegre. Distribuindo autógrafos, sorrisos e muitas histórias,
eles encantaram o público.

Umas dessas histórias marcantes é a do aluno Lucas da Silva Ferreira, 10 anos. Ele é
deficiente visual e está no 5º ano do Ensino Fundamental da Escola São Nicolau, da
região de São Luiz Gonzaga. Com a poesia "Economizar Água", o garoto falou da
importância das pessoas terem bons hábitos para preservar o ambiente.

A professora de Lucas, Lúcia Silveira, conta que o jovem escreve e faz a leitura no
sistema braile. “Além da escrita adaptada, nós utilizamos figuras em alto relevo para
auxiliar o aprendizado. Ele tem uma memória incrível e é muito inteligente”, diz.

Revivendo a infância

Joseane Freitas da Cunha participou do "Crianças do Rio Grande: Escrevendo Histórias"
em 1994. Ela, que é advogada e servido pública, é ex-estudante da Escola Marisa
Seggiaro Hoffmann, em São Nicolau.

Em visita à Feira do Livro, ela descreveu a emoção. “É muita emocionante estar aqui
vendo o trabalho destas crianças. Eu participei quando tinha apenas 12 anos e foi
fundamental na minha vida. Foi quando eu conheci Porto Alegre pela primeira vez e
meus horizontes se abriram”, afirma. ...

Estudantes da rede pública são selecionadas no Programa Jovens Embaixadores


As estudantes gaúchas Laura Eduarda Mallmann Kieling e Vitoria de Andrade Romagna estão
entre os 50 selecionados pelo Programa Jovens Embaixadores, iniciativa de intercâmbio para
alunos da rede pública de ensino, realizado pela embaixada norte-americana no Brasil.

Ambas passarão três semanas nos Estados Unidos participando de atividades como oficinas
sobre liderança e empreendedorismo, projetos de gestão social e reuniões com representantes
do governo. O embarque está previsto para 10 de janeiro de 2020,

Idealizado para valorizar a atuação de jovens que se destacam em suas comunidades pela
atitude positiva, bom desempenho acadêmico, conhecimento da língua inglesa, capacidade de
liderança e espírito empreendedor, o programa está em sua 18ª edição.

Selecionadas

Aluna do Colégio Estadual Cônego Afonso Scherer, de Santa Maria do Herval, Laura Eduarda,
de 18 anos, teve como ação de destaque um projeto sobre saúde mental aplicado na
instituição de ensino da qual faz parte. Confirmada como uma das escolhidas, a jovem está na
expectativa pela imersão na cultura norte-americana.

“Passamos por um processo de seleção bastante rigoroso e agora estou contando os dias para
a viagem. Vamos visitar Washington, participar de diversas atividades, ser recebidas por
famílias americanas como hóspedes, além de conhecer escolas do país”, conta.

Já Vitória de Andrade Romagna, de 18 anos, do Instituto Federal de Sapucaia, tratou em seu
projeto do empoderamento da comunidade onde vive pela música, arte e dança.

A escolha

O processo de escolha das estudantes envolveu uma série de etapas de avaliação que
incluíram análise de perfil, prova escrita, teste oral, de língua e entrevistas. Ao todo,
concorreram mais de 7 mil candidatos. Destes, 157 foram semifinalistas e apenas 50
selecionados. ...

Prêmio Minuano de Literatura 2019 anuncia vencedores em cerimônia na quarta, dia 6


Em sua segunda edição, o Prêmio Minuano de Literatura terá cerimônia de premiação na
quarta-feira (6/11), a partir das 19h, na Sala da Música do Multipalco Eva Sopher do
Theatro São Pedro (Praça da Matriz, s/nº, na capital). O evento será conduzido pela
escritora Cristina Macedo e contará com apresentações musicais da cantora Fátima
Gimenez e do pianista João Maldonado. A entrada é gratuita.

Serão anunciados os vencedores do prêmio em 10 categorias: Conto, Ilustração, Juvenil,
Infantil, História em Quadrinhos, Crônica, Ficção: romance/novela, Poesia, Texto
Dramático e Especial. A iniciativa resulta de uma parceria entre o Instituto Estadual do
Livro (IEL) e o Instituto de Letras da Ufrgs, com apoio da Fundação Theatro São Pedro.

O objetivo é reconhecer a produção literária gaúcha, contribuindo para sua divulgação e
incentivo à leitura e à produção escrita, com participação aberta a obras publicadas no
decorrer em 2018 por autores e editoras do Rio Grande do Sul. Os finalistas, três em
cada categoria, foram anunciados em setembro.

Confira os concorrentes da edição 2019:

Infantil
– Histórias de (não) era uma vez, de Maria Luiza Puglia/Editora Physalis
– Agora pode chover, de Celso Sisto/Editora Melhoramentos
– Pássaros de Papel, de Lucas Luz/Editora do Autor

Conto
– O homem que gostava dos russos & outros contos, de Rafael José Bassi/Editora Patuá
– Cavalos de Cronos, de José Francisco Botelho/Editora Zouk
– Contos TransAntropológicos, de Atena Beauvoir/Editora Taverna

Ilustração
– Que monstro, menino?, de Milene Barazzetti, ilustrações de Marlon Costa/Editora
Alarte
– O Menino Tecnológico, de Adriana Zanonato e Luiz Carlos Prado, ilustrações de Babi
Wrobel/Editora Arte em Livros
– A árvore de colher estrelas, de Elvio Gonçalves, ilustrações de Ernani Carraro/Editora
Voxmídia

Juvenil
– Betina Vlad e o Castelo da Noite Eterna, de Douglas MCT/Editora AVEC
– O mistério do carimbo mágico, de Cláudia Sepé/Editora Metamorfose
– Dois meninos de Kakuma, de Marie Ange Bordas/Editora Pulo do Gato

História em quadrinhos
– Adagio, de Felipe Cagno, ilustrações de Sara Prado e Brã/Editora AVEC
– Silas, de Rapha Pinheiro/Editora AVEC
– Born Cartolla, de Levi Tonin/Editora AVEC

Crônica
– Não existe mais dia seguinte, de Vitor Necchi/Editora Taverna
– Caixa de guardar vontades, de Emir Rossoni/Editora Telucazu
– Quem diria que viver ia dar nisso, de Martha Medeiros/Editora L&PM

Ficção: romance/novela
– Estela sem Deus, de Jeferson Tenório/Editora Zouk
– Brava Serena, de Eduardo Krause/Editora Não Editora
– Tupinilândia, de Samir Machado de Machado/Editora Todavia

Poesia
– Entre uma praia e outra, de Ronald Augusto/Editora Artes & Ecos
– Menina de tranças, de Lilian Rocha/Editora Taverna
– Das coisas que escrevi nas margens do livro que você me deu, de Luciana Costa
Brandão/Editora Nomos

Texto dramático
– Guerra de Urina, de Altair Teixeira Martins/Editora EDIPUCRS
– Mulheres Pessegueiro, de Patrícia Cecato/Editora EDIPUCRS
– Dog Day e Diálogo nas folhas em branco, de Fernanda Moreno/Editora EDIPUCRS

Especial
– Leli da Silva: Memórias – Importância da História Oral, de Lilian Rose Marques da
Rocha, Kleber da Silva Rocha e Maria Aparecida Marques da Rocha/Editora Alternativa
– Katia Suman e os Diários Secretos da Rádio Ipanema FM, de Katia Suman/Editora
BesouroBox
– Literatura à margem, de Cristovão Tezza/Editora Dublinense

A premiação

Dia: 6 de novembro (quarta-feira)
Hora: a partir das 19h
Local: sala da Música do Multipalco Eva Sopher do Theatro São Pedro (Praça da Matriz,
s/nº, em Porto Alegre)
Informações: no IEL – fones (51) 3314-6450 e 3314-6451 e pelos e-mails
iel@sedac.rs.gov.br e institutodolivrors@gmail.com
Entrada franca ...




Edição n° 197 - Novembro de 2019

Selecionar Edição
  • Edição n° 198
  • Edição n° 197
  • Edição n° 196







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821