Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 27 de Fevereiro de 2020. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
30996943


Edicão n° 200 de Fevereiro 2020


Leite materno: a primeira escolha para auxiliar na prevenção da alergia à proteína do leite de vaca
12/08/2019

Temos acompanhado um aumento mundial das alergias alimentares nas últimas duas
décadas. As alergias alimentares podem ser definidas como reações adversas, reprodutíveis,
que ocorrem devido a uma reação imunologicamente mediada a um componente alimentar
(em geral, uma proteína). A alergia mais comum nos primeiros anos de vida é a alergia à
proteína do leite de vaca (APLV).

As alergias alimentares apresentam um impacto muito significativo na qualidade de vida dos
pacientes e de suas famílias, que parece ser mais importante do que o impacto causado pelas
doenças crônicas, como diabetes. As Alergias Alimentares são divididas em imediatas ou IgE-
mediadas e não-IgE mediadas ou tardias, de acordo com as manifestações e com o tempo que
ocorrem após o contato com o antígeno. As alergias não-IgE mediadas leves e moderadas são
as mais comuns nos consultórios e podem apresentar sintomas muito variáveis, desde
sintomas inespecíficos como choro, irritabilidade, agitação; sintomas mais claramente
relacionados à APLV como sangue nas fezes e sintomas mais importantes como perda de peso
e diarreia e má absorção.

O diagnóstico dessas alergias requer um período de exclusão da proteína do leite de vaca e o
posterior desencadeamento, com o retorno dos sintomas inicias. A sequência dieta de
eliminação-reintrodução, com reaparecimento dos sintomas, é o único caminho para se fazer o
diagnóstico das APLV não-IgE mediadas, leves e moderadas, já que os testes de pele ou
séricos de IgE não são úteis nesses casos. O tratamento requer a dieta de exclusão de leite de
vaca e derivados para as mães que amamentam ou fórmulas especiais para os lactentes que,
por algum motivo deixaram de ser amamentados.

O leite materno, até o momento, é o melhor para auxiliar na prevenção da APLV e na
aquisição de tolerância, devendo ser sempre a primeira escolha. Nos lactentes que não são
amamentados, as fórmulas extensamente hidrolisadas de proteínas do leite de vaca são a a
primeira escolha de tratamento, na maioria dos casos e em todos consensos mundiais. As
fórmulas de aminoácidos são usadas nos casos mais graves. Os pacientes que estão em
tratamento para APLV necessitam suporte dietético, não só para assegurar a dieta correta,
mas também para acompanhar os aspectos nutricionais e de crescimento do paciente, assim
como possíveis problemas alimentares presentes e futuros.

Por isso, as fórmulas prescritas devem apresentar boa tolerabilidade, aceitação e
palatabilidade. É necessária muita atenção no uso de preparados inadequados para crianças,
como bebidas lácteas não indicadas para lactentes e crianças , como leite de arroz, leite de
cabra e leite de amêndoas.

Cristina Targa Ferreira

Presidente da SPRS, gastroenterologista, Cristina Targa Ferreira






Edicão n° 200 de Fevereiro 2020
14/02/2020 - Galeria da Penitenciária de Arroio dos Ratos passa por operação de revista
14/02/2020 - Operação afasta prefeito, secretários e vereador por suspeita de crimes licitatórios
14/02/2020 - Ex-presidente de Câmara de Vereadores é condenados a 04 anos de reclusão por fraude em concurso público
14/02/2020 - Acidente com morte na BR 290 próximo ao Posto do Roque
13/02/2020 - Para curtir a praia com as crianças em segurança
13/02/2020 - Saiba o que é preciso observar nas pintas da pele
13/02/2020 - Parque Itapuã inicia última fase do projeto-piloto de reabertura das praias
13/02/2020 - Ações educativas e fiscalização marcam atuação da Balada Segura no Litoral
13/02/2020 - Universidade Estadual recebe inscrições para cursos de especialização
13/02/2020 - Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo já pode ser impresso em casa
13/02/2020 - Calendário Esportivo 2020 é divulgado pela Prefeitura de Butiá
13/02/2020 - Transporte Escolar Consciente. Seminário pioneiro da Prefeitura de Guaíba sobre a segurança das crianças.
13/02/2020 - Nova etapa de vacinação contra o Sarampo
13/02/2020 - Circuito Verão Sesc terá Futevôlei em Guaíba
13/02/2020 - Passe Livre Estudantil
05/02/2020 - Delações Premiadas e prisões preventivas
05/02/2020 - Como diferenciar doenças respiratórias comuns de um eventual caso de gravidade do coronavírus
05/02/2020 - Qualificação com solidariedade em Sapiranga
05/02/2020 - Ajorsul apoia campanha de conscientização contra óculos falsificados
05/02/2020 - Iniciam as obras da Havan em Guaíba
05/02/2020 - Encontro com os coordenadores regionais organiza início do ano letivo de 2020
05/02/2020 - Plano de monitoramento do coronavírus é apresentado aos coordenadores regionais da Saúde
05/02/2020 - Rodeio de Charqueadas está próximo
05/02/2020 - Prefeitura de Charqueadas abre Processo Seletivo Simplificado de Estagiários para Monitoria Educacional e Digital
04/02/2020 - Comprovação do direito da Aposentadoria Especial
04/02/2020 - O que fazer quando acontecem os pequenos ferimentos em crianças
03/02/2020 - Música auxilia no tratamento de pacientes com câncer
03/02/2020 - Dia 5 de maio é último prazo para o recadastramento biométrico para os eleitores de Eldorado do Sul
02/02/2020 - Agentes Comunitários realizam atualização de cadastros
01/02/2020 - Anuncie no Jornal ECO do Jacuí
01/02/2020 - Farmácia do Noel
01/02/2020 - Serviço de Contabilidade
01/02/2020 - Tintas em Arroio dos Ratos
01/02/2020 - Madeira Tratada em Arroio dos Ratos



Edição n° 200 - Fevereiro 2020

Selecionar Edição
  • Edição n° 200
  • Edição n° 199
  • Edição n° 198







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821